Sérgio Neves/AE
Sérgio Neves/AE

Torcida do Palmeiras pede Lenny no time titular

Vanderlei Luxemburgo, porém, pede cautela com o atacante: 'As coisas têm de acontecer naturalmente'

JULIANO COSTA, Jornal da Tarde

15 de março de 2009 | 19h40

Algo inimaginável há três meses já começa a ser considerado por Vanderlei Luxemburgo no Palmeiras. E o que é mais curioso: com pressão popular. A entrada de Lenny no time titular, antes um pesadelo para os torcedores, agora é pedida em coro nos jogos no Parque Antarctica.

Veja também:

forum Vote: Lenny deve mesmo ser titular do Palmeiras?

link Keirrison sente primeiras cobranças no Palmeiras

link Pierre comemora liberdade para apoiar no Palmeiras

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Com gols, dribles, passes e boas atuações, o atacante de 20 anos mudou um quadro amplamente desfavorável e se tornou xodó até mesmo da "Turma do Amendoim", geralmente o primeiro setor do estádio a clamar por sua entrada em campo.

Luxemburgo cobre Lenny de elogios, mas pede calma. Tenta segurar a pressão, lembrando que Willians tem feito boas apresentações desde o começo do ano e que ainda tem Marquinhos à disposição. "Lenny tem crescido bastante e é bom ver essa briga no ataque pela titularidade. Mas as coisas têm de acontecer naturalmente".

O técnico argumenta que Lenny aparece bem surgindo no segundo tempo, como uma opção de drible e velocidade para um momento do jogo em que as defesas adversárias já estão cansadas.

Mas nas partidas com time misto, quando Lenny sai como titular, ele não decepciona. É o vice-artilheiro do Palmeiras no Campeonato Paulista, com seis gols, atrás apenas de Keirrison, que tem dez. É também o jogador que mais partidas disputou na temporada - participou de 15 dos 16 jogos do time. Ele só não entrou no clássico contra o Corinthians, na semana retrasada.

No sábado, após a vitória sobre o Barueri por 3 a 0, Lenny foi novamente louvado pela torcida na saída do campo. Cercado por repórteres, enquanto acenava para os torcedores, ele brincava com a raiva que provocou nos zagueiros adversários com dribles humilhantes.

"Independentemente de eu ser reserva ou titular, preciso estar preparado sempre. Se um dia eu virar titular, será pela minha dedicação e por aquilo que venho fazendo no dia a dia".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.