Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Organizada do Palmeiras repudia ataque, mas critica Felipão, Mattos e jogadores

Mancha Alvi Verde condena pedradas no ônibus antes do jogo de quarta, mas critica diretoria

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2019 | 17h14

A Mancha Alvi Verde, principal torcida organizada do Palmeiras, repudiou o ataque ao ônibus do clube na chegada ao Allianz Parque, nesta quarta-feira. Por outro lado, a torcida fez críticas ao diretor de futebol Alexandre Mattos, ao técnico Luiz Felipe Scolari e também aos jogadores.

"Atire a primeira pedra quem nunca errou? Assumimos os nossos erros e falhas. Quando os erros e falhas são nossos. A Mancha Alvi Verde NÃO compactua com as “pedradas” de ontem. E também não aceitamos esse pré-julgamento feito pela mídia e sociedade de acusar sem provas e sempre envolver o nome da nossa entidade", publicou a torcida em seu site oficial.

Na chegada ao estádio, antes da vitória sobre o Junior Barranquilla, o ônibus com a delegação foi atingido por garrafas e latas. A Polícia Militar prendeu dois torcedores. 

A torcida criticou o desempenho da equipe no Campeonato Paulista, quando a equipe foi eliminada pelo São Paulo nas semifinais na cobrança de pênaltis, e também na Libertadores, embora a equipe só precise de mais um ponto para se classificar às oitavas de final.

"Nítido que não tivemos padrão técnico nos jogos do Paulista e Libertadores. Essa “pedrada” é do Felipão, que voltou a ser rabugento, teimoso e prepotente. Nas suas coletivas não assume que o time foi mal e ainda elogia em derrotas vergonhosas em clássicos dentro de casa", diz outro trecho.

Por fim, a torcida critica a diretoria, que teria feito "contratações caras e duvidosas", ainda de acordo com a nota, e concedido "aumentos de salário fora da realidade nacional". "A impressão que temos é que perdeu-se o vestiário. Quem ganha “somente” R$ 300 mil não se entrega e não se envolve de fato e quem ganha R$1 milhão não joga para merecer tanto. (...) Que esse elenco pipoqueiro, que coleciona inúmeras eliminações nos últimos anos no nosso estádio, comece a jogar bola e respeite a nossa camisa", diz o comunicado da torcida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.