Torcida do Palmeiras se reúne para fazer trajeto a pé até o Pacaembu

Polícia Militar fará escolta das quase mil pessoas que participam da marcha

O Estado de S. Paulo

16 de fevereiro de 2014 | 14h18

SÃO PAULO - Cerca de mil torcedores do Palmeiras iniciaram por volta das 13h30 o trajeto a pé saindo da sede do clube, na rua Turiaçu, até o Estádio do Pacaembu, para o clássico contra o Corinthians. Até o momento, nenhum incidente foi registrado envolvendo os torcedores. A Polícia Militar e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) realizaram um bloqueio na Avenida Sumaré para permitir a passagem dos torcedores e reorientar o trânsito, que já está complicado nas proximidades do estádio. 

A marcha palmeirense, realizada tradicionalmente nos grandes jogos do clube, ganhou importância na partida de hoje, classificado como de "alto risco" pela Polícia Militar. "No Pacaembu, agiremos com tolerância zero. Qualquer princípio de confusão será prontamente reprimido", declarou o comandante José Balestiero Filho, do 2º Batalhão de Choque da Polícia Militar.

Na quinta-feira, dois dias antes do clássico, os presidentes dos dois clubes Mário Gobbi e Paulo Nobre, além dos treinadores Mano Menezes e Gilson Kleina estiveram reunidos no salão nobre do Pacaembu em nome da paz e anunciaram as ações de conscientização para o clássico deste domingo à tarde. "Adversário não é inimigo. Rivais só em campo”, serão os dizeres da faixa com a qual as equipes entrarão no gramado do Pacaembu. Os jogadores ainda ficarão intercalados (um de cada time) na hora do Hino Nacional. O lema será focado hoje a fim de evitar que os torcedores troquem as sadias provocações costumeiras dos jogos, em coros ou músicas, por socos e pontapés, algo recorrente nos últimos clássicos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.