Torcida do Quilmes reforça o racismo

A torcida do Quilmes referendou o comportamento racista de Leandro Desábato. Para mostrar solidariedade ao zagueiro, que passou quase dois dias preso em São Paulo por ter ofendido Grafite, fãs da equipe argentina levaram cartazes e faixas de mau gosto no jogo deste domingo contra o River Plate. Sem nenhuma represália da polícia, houve inscrições como "Branca de Neve" e uma montagem em que o atacante são-paulino é identificado como macaco.O Quilmes chegou na noite de sexta-feira a Buenos Aires, mal teve tempo de treinar no sábado e foi obrigado a entrar em campo, no Monumental de Núñez, neste domingo, para a disputa da 9ª rodada do Torneio Clausura, que encerra a temporada de 2004-2005 na Argentina. A diretoria tentou transferir a partida, sob a alegação de que houve desgaste excessivo, por conta dos momentos de tensão no Brasil, e o grupo estava abalado, física e psicologicamente.A alegação não foi aceita e a Associação de Futebol da Argentina manteve o jogo para o meio da tarde deste domingo. Foi um passeio do River, que goleou por 4 a 0, gols de Gonzalez, Gallardo (2) e Ameli. Com a vitória, o time manteve o 2º lugar, com 19 pontos, um a menos do que o Rosario Central, que na sexta-feira havia batido o Gimnasia y Esgrima por 2 a 1.O Quilmes afastou Desábato do contato com imprensa e torcedores e preferiu deixá-lo em casa para recuperar-se do estresse - cumpriu suspensão no jogo deste domingo. Depois de sair da cadeia, mediante pagamento de fiança de R$ 10 mil, ele agora está mais preocupado na estratégia de defesa no processo que responderá em São Paulo por "injúria racista". O imbroglio em que Desábato se envolveu começou durante a partida com o São Paulo, na quarta-feira à noite, no Morumbi, quando insultou Grafite. Assim que terminou o jogo, ele foi detido e só no começo da tarde de sexta se livrou da prisão.O episódio teve o primeiro desdobramento prático com a manifestação deste domingo da torcida. O Quilmes não se manifestou e a única atitude que tomou, ainda no sábado, foi a de tirar seu site do ar temporariamente, já que havia muitas mensagens racistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.