Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão

Torcida do Santos abandona o time no estádio do Pacaembu

Presidente pede para santistas acordarem e reclama do público

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

23 Março 2015 | 07h04

A busca por melhores rendas em jogos fez com que a diretoria do Santos resolvesse apostar tudo em mandos no Pacaembu, mas a ideia tem sido um fracasso em números por culpa de sua torcida. O confronto com o Osasco Audax, sábado, mais uma vez teve público decepcionante. Apenas 9.113 pagantes.

O presidente Modesto Roma fez um acordo com uma empresa, que "comprou" os mandos das partidas contra Linense, Red Bull e Audax e levou os jogos para o Pacaembu, mas o retorno foi praticamente zero.

O borderô será divulgado hoje. É quase certo que, se tiver renda líquida positiva, será um valor muito pequeno. Contra o Red Bull, foram 8.158 pagantes e a renda foi negativa de R$ 32.263,07. Diante do Linense, 12.897 ingressos foram vendidos e a renda líquida positiva foi de R$ 19.113,05.

Modesto não esconde a decepção com a torcida. "Vendemos os três jogos para um parceiro e ele teve prejuízo. Isso não é bom. A torcida não compareceu. Era um dia bom, horário bom, o Santos em alta, time completo... Era para a torcida lotar o Pacaembu e vieram só 11 mil. É hora do torcedor acordar e mostrar sua força", disparou.

A situação da parceria está tão constrangedora, que o Santos estuda a possibilidade de fazer um quarto jogo como bônus para a parceira, com o intuito de reduzir o prejuízo. A partida seria diante do São Bento, dia 29.

Essa empresa, que não teve o nome relevado, já demonstrou interesse em assumir o comando do Pacaembu para que o Santos mande seus jogos no estádio paulistano. A Prefeitura de São Paulo deve fazer uma licitação com todos os interessados em assumir o comando do estádio. "Existem parceiros que estão entrando no processo licitatório", confirmou Modesto.

Caso a empresa vença a licitação, ela ficaria responsável por fazer uma reforma no Pacaembu e o Santos não teria de pagar nada para jogar no estádio e, esporadicamente, poderia fazer jogos na Vila Belmiro.

Mais conteúdo sobre:
Santos FC Futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.