Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Torcida do Santos quebrou 203 cadeiras no Itaquerão

Tribunal vai apurar se houve responsabilidade da equipe visitante

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S. Paulo

06 de abril de 2015 | 11h33

O banheiro e mais 203 assentos do setor destinado aos visitantes do Itaquerão foram destruídos durante o clássico de domingo entre Corinthians e Santos, pela 14ª rodada do Campeonato Paulista. O árbitro Vinícius Gonçalves Dias Araújo relatou na súmula que havia sido informado pela Polícia Militar que 40 cadeiras foram quebradas, mas nesta segunda-feira o Corinthians fez a vistoria no local e contabilizou 203 assentos danificados. O caso será julgado pelo TJD (Tribunal de Justiça Desportiva) da Federação Paulista de Futebol na próxima semana.

"Isso é uma novidade para nós. O tribunal vai apurar se houve alguma responsabilidade por parte do Santos e pode aplicar uma multa, por exemplo. Também será verificado se os torcedores que praticaram esse ato de vandalismo foram identificados", disse o coronel Marcos Marinho, presidente da Comissão de Arbitragem e diretor de Segurança e Prevenção da FPF.

Na súmula, o árbitro relatou a quebra das cadeiras como "observações eventuais". No texto, ele diz que "durante o 2º tempo, foram arremessadas bexigas brancas no campo de jogo, não interferindo no andamento da partida. Também durante o 2º tempo, fomos informados pelo tenente Depiere, que a torcida do Santos F.C, danificou 40 cadeiras e o banheiro destinado a sua torcida, e ainda não sabiam dizer quantas cadeiras foram quebradas no setor que os torcedores santistas estavam".

Atos de vandalismo da torcida visitante têm sido frequentes no Itaquerão. No ano passado, por exemplo, durante clássico válido pelo Campeonato Brasileiro, palmeirenses quebraram 258 cadeiras e um secador de mão do banheiro. O prejuízo foi estimado em R$ 45 mil e o então presidente do Corinthians, Mário Gobbi, optou por não mandar a conta para o presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, apesar de os dois clubes terem um acordo de que eventuais danos provocados pelas suas torcidas no estádio do rival deveriam ser pagos pelas respectivas diretorias.

Este ano, no jogo com o São Paulo, pela Copa Libertadores, no dia 18 de fevereiro, pelo menos 40 cadeiras foram destruídas no setor Sul do estádio, destinado à torcida visitante.

Apesar dos prejuízos que o Corinthians tem sofrido por causa do mau comportamento de torcedores de outras equipes, principalmente nos clássicos, não está nos planos da diretoria mexer na atual configuração do estádio e retirar os assentos do setor.

A única área da arena sem cadeiras é a Norte, onde ficam as torcidas organizadas do Corinthians. A remoção, feita após a Copa do Mundo, foi um pedido das próprias uniformizadas, que preferem assistir aos jogos de pé.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPaulistãoSantos FCItaquerão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.