Érico Leonan/Divulgação
Érico Leonan/Divulgação

Torcida do São Paulo 'invade' treino e apoia jogadores

Cerca de 2 mil torcedores estiveram no CT do Tricolor neste sábado

O Estado de S. Paulo

17 de outubro de 2015 | 12h53

Em meio a uma das maiores crises políticas na história do São Paulo, a torcida Tricolor aproveitou o treino aberto na manhã deste sábado para demonstrar apoio ao time na reta final do Campeonato Brasileiro e na semifinal da Copa do Brasil. Com bandeiras, bateria, rojões e cantando o hino do time, cerca de 2 mil torcedores gritaram palavras de apoio aos jogadores.

Quem também foi reverenciado pelos presentes foi o novo técnico Doriva. Os torcedores cantaram "Oooooo, o Doriva voltou, oooo Doriva voltou", lembrando que o treinador jogou no clube entre 1991 e 1994, um dos períodos mais vitoriosos da história do time.

O treino do São Paulo teve duas partes. A primeira, com portões ainda fechados, os atletas fizeram trabalhos físicos supervisionados pelos preparadores Anselmo Sbragia e Zé Mário Campeiz. Na segunda metade, já com o técnico Doriva no comando, treinaram posicionamento, tanto ofensivamente quanto defensivamente, e bolas paradas. Tudo visando a primeira vitória do novo treinador no comando da equipe.

Na quinta colocação na tabela do Campeonato Brasileiro, o São Paulo briga por uma vaga na Libertadores em duas frentes: no nacional, onde no domingo, às 16h, enfrenta o Vasco no Morumbi, e na Copa do Brasil, onde na próxima semana terá o clássico diante do Santos, válido pelas semifinais da competição.

CRISE

Sem presidente oficial desde a renúncia de Carlos Miguel Aidar no começo desta semana, o São Paulo deve ter em breve um novo mandatário. Segundo o portal Uol, o ex-presidente José Eduardo Mesquita Pimenta confirmou que Paulo Amaral, que iria concorrer pelo cargo contra o interino, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, desistiu da eleição. Com isso Leco deve ser candidato único no clube. 

A eleição no São Paulo está marcada para o próximo dia 27 e as chapas devem oficializar seus candidatos até o próximo dia 22. A crise no clube esquentou quando Carlos Miguel Aidar renunciou ao cargo após brigar e demitir praticamente toda a diretoria e ser acusado de desvios nas contas pelo vice, Ataíde Gil Guerreiro.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.