Torcida faz fila para ver troféu da Libertadores em Belo Horizonte

Taça cobiçada pelo Atlético-MG é exposta no Mercado Central da capital

RAPHAEL RAMOS - Enviado Especial, Agência Estado

23 de julho de 2013 | 16h24

BELO HORIZONTE - Milhares de torcedores aproveitaram o último dia de exposição do troféu da Copa Libertadores no Mercado Central de Belo Horizonte, nesta terça-feira, para ver a taça de perto e tirar fotos. A imensa fila formada no estacionamento do estabelecimento chegou atrapalhar o tráfego dos veículos e, segundo os organizadores, a tendência é o movimento aumentar até as 18h, quando a exposição será encerrada.

O troféu, então, será levado para um hotel, onde na manhã desta quarta-feira os presidentes de Atlético-MG, Olimpia e Conmebol concederão um entrevista coletiva. À noite, a taça será entregue ao novo campeão da América no Mineirão.

Derrotado no Defensores del Chaco por 2 a 0, o time brasileiro precisa vencer por três gols de diferença para conquistar o título. Vitória por dois gols, independentemente do placar, leva a decisão para a prorrogação.

Torcedores do Cruzeiro também foram ao Mercado Central ver a taça. Foi o caso do vendedor Diego Fernandez, 24 anos. "Vim matar a saudade (a equipe venceu a Libertadores em 1976 e 1997) e secar um pouco o Atlético. O negócio deles é ganhar título mineiro", disse.

A imensa maioria das pessoas que formavam a fila, no entanto, eram torcedores do Atlético-MG e estavam muito confiantes no título. "Aqui no Mineirão, é Galo na cabeça. 3 a 0, fora o show. O Ronaldinho vai acabar com esses paraguaios", apostava o enfermeiro Guilherme Oliveira, 30 anos.

Já o motorista Ricardo Ribeiro, 52 anos, prevê um jogo aberto, com mais uma atuação consagradora do goleiro Victor. "Vai ser sofrido, a decisão vai para os pênaltis. Mas aí o Victor fecha o gol". A expectativa em torno da decisão desta quarta-feira é enorme em Belo Horizonte. Os ingressos estão esgotados. Cambistas chegam a cobrar R$ 1 mil por um bilhete.

O troféu ficará sob posse do campeão da Libertadores por três meses e, depois, voltará para a sede da Conmebol, no Paraguai. Ao vencedor será entregue uma réplica após esse período.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.