André Penner/AP
André Penner/AP

Torcida faz tumulto e cobra Tite em desembarque

Gerente de futebol não garante permanência do técnico e confirma reunião decisiva

Fábio Hecico, Agência Estado

17 de outubro de 2013 | 15h53

SÃO PAULO - Mudança à vista no Corinthians. A diretoria do clube vai decidir nesta quinta-feira, após mais uma derrota da equipe no Campeonato Brasileiro, o que fará para buscar a reação alvinegra. Sem garantir a permanência de Tite no comando da equipe, o gerente de futebol Edu Gaspar foi o porta-voz dos dirigentes. "Vamos nos reunir agora. A reunião sempre acontece, mas essa vai ser um pouco diferente. Não dá para adiantar nada", disse durante o desembarque da comitiva corintiana em São Paulo.

 

O técnico foi recebido com hostilidade e precisou ser amparado por seguranças no desembarque, no Aeroporto de Guarulhos, na tarde desta quinta-feira. Um grupo de 10 a 15 torcedores, sem camisa de organizadas, protestou contra a sequência de resultados negativos do time, que foi derrotado pelo Grêmio, na noite passada, em Porto Alegre. Tite foi cercado por cerca de 10 seguranças na saída do aeroporto. E, ao ser cobrado pelos torcedores, pediu respeito. "Me respeitem, me respeitem", dizia o treinador, ante as cobranças de um grupo mais exaltado. Com gritos de ordem, eles pediram maior ação do treinador no resgate do time na tabela - o Corinthians está apenas cinco pontos acima da zona de rebaixamento. "Escala direito esse time" e "Vamos fazer esse time jogar bola", gritaram os torcedores, que tentaram se aproximar do treinador. Eles cobraram ainda maior empenho dos jogadores ("Vamos correr, Corinthians é tradição" e "Vamos jogar bola") e pediram a saída de Ibson e Maldonado ("Ibson volta pro Rio e leva o Maldonado. Isso aqui é Corinthians").

Entre os jogadores, somente Danilo parou para atender os jornalistas. "Infelizmente a bola não está entrando. A gente está tentando", disse o meia, que reiterou o apoio do elenco ao treinador. "Estamos juntos com o Tite. Trocar de treinador agora não seria correto. Mas a gente não pode falar nada sobre isso", afirmou o jogador, também atacado pelos jogadores - "Vamos correr mais, Danilo".  Em fase ruim, o Corinthians vem de uma derrota e três empates seguidos pelo placar de 0 a 0. Longe de exibir o bom futebol de 2012, o time caiu para o 13.º lugar da tabela e se aproximou da zona de rebaixamento após a derrota para o Grêmio na noite de quarta.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansTite

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.