Torcida fica contra Rogério Ceni

Rogério Ceni definitivamente não é mais unanimidade dentro do São Paulo. A maior torcida Uniformizada do clube, a Tricolor Independente, deixou bem claro que defendeu a medida adotada pelo presidente Paulo Amaral, que suspendeu o goleiro por 28 dias após declarações consideradas ofensivas ao clube. "O Rogério tomou atitudes erradas e mereceu a punição. Ele tem que saber que por mais que seja um ídolo, não vale mais do que o clube", disse André Amorosino, presidente do conselho deliberativo da agremiação. Na opinião do torcedor, ídolos se criam e se vão com a mesma intensidade. "Vejam o caso do Raí. Foi um jogador muito mais querido pela torcida e nem por isso exigiu coisas da maneira como fez o Rogério". Amorosino acredita que o goleiro também foi muito infeliz ao convocar uma coletiva para manifestar seu interesse em permanecer no Morumbi. "Quando ele fez isso, assumiu o erro. Espero que ele esfrie a cabeça e reflita. Se quiser ir para o Corinthians, tudo bem, mas só quero ver se ele terá à disposição toda a estrutura que encontra aqui". Confirmado como novo goleiro titular do São Paulo, Roger deverá ter dias difíceis pela frente. A Independente também manifestou ao presidente Paulo Amaral que não irá aceitá-lo como titular. A polêmica provocada pelo goleiro em 1999, quando se rendeu a um convite para ser fotografado para uma revista direcionada ao público gay, ainda não foi esquecida. "Ele trocou a dignidade de vestir a camisa do São Paulo pela ganância. Só foi convidado para fotografar porque era goleiro do São Paulo. Se o Rogério não voltar, vamos exigir a contratação de um novo goleiro que esteja a altura das tradições do clube", define Amorosino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.