Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Torcida muda rotina para ver partida do Corinthians às 17h

Jogo contra Red Bull foi modificado por causa da partida da seleção brasileira às 20 horas

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

23 de março de 2017 | 07h00

Já classificado para as quartas de final, o Corinthians enfrenta o Red Bull às 17h, horário atípico para atletas e torcedores, que são obrigados a mudar a rotina e, em alguns casos, “criar histórias” para acompanhar a partida na Arena Corinthians.

A partida foi marcada em um horário diferente do habitual para não conflitar com o jogo da seleção brasileira, às 20h, contra o Uruguai. Isso obrigará alguns torcedores a mudarem a rotina e terem paciência com os horários de pico do trânsito. Foram vendidos 12,5 mil ingressos antecipadamente.

O advogado Rafael Martarello Santana contou com a sorte. “Sou Fiel Torcedor, mas só vou conseguir ir neste porque tenho uma audiência na Zona Leste e ficarei por lá. Para sair do jogo vai ser complicado, pois terá muito trânsito”, reclamou.

O redator publicitário Luis Butti, recentemente trabalhou no tour da arena, mas atualmente aguarda a volta ao trabalho. “Moro em Campinas e esse horário de jogo é o pior possível. Só conseguirei porque estou sem trabalho no momento”, explicou o corintiano.

Vale até inventar desculpa para não ir trabalhar ou estudar. Tudo para ver o Corinthians. “Vou falar para o meu chefe que estou doente ou vou inventar uma desculpa qualquer”, contou um torcedor, que pediu para não ser identificado. “Vou ter de fazer isso por causa desse horário esdrúxulo. E vou ter que torcer para a câmera de TV não me flagrar”, brincou.

Carille deve escalar sete jogadores da base: Jô, Léo Príncipe, Pedro Henrique, Arana, Maycon, Pedrinho e Léo Jabá. Marlone, que deve ser trocado por Clayton, do Atlético Mineiro, não foi relacionado.

O treinador recorreu à base por causa dos desfalques. São nove, ao todo. Além de Jadson, suspenso, e de dois atletas nas eliminatórias (Fagner, na seleção brasileira, e Romero, no Paraguai), Carille tem seis atletas no departamento médico: Camacho, Matheus Vidotto, Balbuena, Kazim, Marquinhos Gabriel e Giovanni Augusto.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.