Pedro Souza/Atlético
Pedro Souza/Atlético

Torcida organizada do Atlético-MG flagra Marrony e Borrero em balada e cobra os jogadores

Vídeos nas redes sociais mostram torcedores intimidando os jogadores e Galoucura promete continuar a 'fiscalização'

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de novembro de 2020 | 12h51

Em meio a um surto de covid-19 no elenco, os jogadores Marrony e Dylan Borrero, do Atlético-MG, foram flagrados em uma balada por membros de uma torcida organizada do clube, a Galoucura. Três vídeos que circulam pelas redes sociais mostram os atletas em frente a uma boate sendo repreendidos pelos organizados. Em nota, a torcida chamou atacante e meia de "irresponsáveis" e disse que continuará a fiscalizar o elenco alvinegro.

"Todos tem acompanhado a "crise" do Covid-19 em nosso elenco e comissão técnica. E hoje, domingo, por volta de meia noite, recebemos a informação que os jogadores Marrony e Dylan Borrero estavam numa balada. Isso mesmo!!! Em plena pandemia, estes irresponsáveis estão em balada, com sério risco de se contaminar pelo Covid e ainda passar para os demais jogadores", escreve a torcida, que ainda acrescenta:  "Que irresponsabilidade! A fiscalização continua, independentemente de qual jogador for, nós iremos cobrar. Nós não aceitaremos isso jamais! Nenhum jogador é maior que a instituição Clube Atlético Mineiro".

Os atletas tentam se justificar. Em um dos vídeos, Marrony diz que está de folga e afirma já ter contraído a doença. Isso, contudo, não o impede de transmitir o vírus, alerta o torcedor. Nas últimas semanas, o Atlético-MG registrou 11 jogadores infectados pela covid-19. Sequer o técnico Jorge Sampaoli e parte da comissão técnica escaparam. 

Apesar de desfalcado, a equipe manteve-se na liderança, mas viu seus adversários se aproximarem. Neste fim de semana, o Atlético não foi a campo. A equipe estava de folga e volta ao gramado apenas no próximo domingo, diante do Internacional. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.