Torcida paraense agradece a Robinho

Robinho foi a motivação que o apaixonado torcedor paraense encontrou para voltar em massa ao Mangueirão. E foi essa gente hospitaleira que gritou seu nome da porta do hotel onde o Santos ficou hospedado até o estádio Mangueirão. Até quem não torce pelo Santos foi ao jogo somente para ver o atacante que vai jogar na Espanha."Obrigado pelo que você fez pelo Santos e pelo Brasil", dizia um cartaz do torcedor Otávio de Castro Ferreira, que viajou 900 km de São Luís do Maranhão para ver seu ídolo se despedir da torcida brasileira.Meio assustado, o jogador foi abraçado por uma criança na boca do túnel e ouviu uma declaração que o deixou comovido: "Robinho, eu te amo". A autora da frase, a menina Daniela Cardoso Couto, foi retribuída com um beijo no rosto. Outros garotos queriam apenas um autógrafo: tiveram sorte e saíram felizes.Os seguranças contratados para proteger Robinho trabalharam mais que a defesa do Paysandu que o jogador enfrentaria mais tarde. No vestiário do Santos, a ordem era não deixar ninguém se aproximar do craque.A diretoria do Real Madri também cuidou de sua nova estrela, mandando para Belém um cinegrafista do clube e uma repórter para fazer a cobertura do jogo e anotar tudo o que acontecia dentro e fora de campo.O próprio jogador, no intervalo do primeiro tempo, sussurrou a um repórter que tentava entrevistá-lo que iria viajar para a Espanha logo depois da partida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.