Torcida pede a demissão de Bonamigo

O que estava ruim, ficou pior. Não bastasse a eliminação da Libertadores e a lista de dispensa dos jogadores confirmada, os palmeirenses souberam neste sábado do rompimento da principal torcida uniformizada com o técnico Bonamigo. O clássico contra o Santos, domingo à tarde, no Palestra Itália, promete ser infernal para o Palmeiras.Paulo Bonamigo foi direto ao assumir o principal problema do time: a crônica falta de gols. "O time melhorou muito desde que cheguei. Passou a criar muitas chances de gols, mas não consegue marcar. Isso é fatal. O time precisa ter tranqüilidade para fazer quando tem a oportunidade, porque o castigo é imediato. Foi assim contra o Cruzeiro e nas duas partidas contra o São Paulo. Se meus jogadores tivessem aproveitado o que criaram, o clima no Palmeiras seria outro", explicou o treinador.Pensando nisso, Bonamigo afastou Washington do time titular. O treinador não perdoou o gol fácil que o atacante perdeu contra o São Paulo no jogo decisivo da Libertadores quando o placar ainda estava 0 a 0.Mas Bonamigo escalou dois atacantes. Colocou o argentino Gioino ao lado de Ricardinho. E escalou Marcinho para atuar como ele se destacou no São Caetano, no meio-de-campo."A cobrança está forte aqui no Palmeiras, não é? O time está precisando ganhar e todos estão sendo cobrados. Vou tentar fazer os gols que todos esperam de mim", disse Gioino.O sentimento que move Ricardinho é outro: a mágoa. Ele foi afastado do time, viu a equipe ser eliminada pelo São Paulo e agora volta como titular. "Vocês (repórteres) têm de perguntar ao ?professor? Bonamigo porque eu perdi a condição de titular. Agora que ele me chamou, vou jogar. Quem escala é ele", afirmou o atacante.O esquema de Bonamigo é ousado. Ele terá apenas um volante, Alceu. Juninho e Marcinho terão missão ofensiva e deverão ajudar Gioino e Ricardinho. Pela ala direita atuará Bruno, porque Corrêa pediu para disputar posição no meio-de-campo afirmando estar ?cansado? de jogar improvisado. E Magrão, expulso contra o Cruzeiro, está fora do clássico."Nós estaremos jogando na nossa casa. Teremos a iniciativa do jogo. Não importa se o Santos está melhor ou com seus jogadores mais tranqüilos. Eu preciso do resultado. Ou melhor, o Palmeiras precisa do resultado", admitiu Bonamigo.Protesto - Os dirigentes da torcida Mancha Alviverde foram neste sábado ao treino e conversaram com o diretor de futebol do clube, Hugo Palaia. "Nós queremos que o Bonamigo seja demitido e que jogadores como Marcinho Guerreiro, Corrêa, Daniel, Gabriel, André Cunha e Claudecir nunca mais vistam a camisa do Palmeiras. Porque se continuarem no clube, não vamos deixá-los em paz", prometeu o presidente da organizada, Luís Carneiro Filho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.