JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Torcida pressiona por escalação de Felipe Melo diante do Flamengo

Volante atuou em apenas dois jogos com Alberto Valentim

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

10 Novembro 2017 | 07h00

Nos diversos protestos realizados pela torcida do Palmeiras após a derrota para o Vitória, resultado que tirou a equipe da briga pelo título brasileiro, um jogador foi claramente poupado: o volante Felipe Melo. 

+ Valentim admite que Palmeiras briga apenas pela Libertadores

+ Foi nosso pior jogo na era Valentim, diz Moisés após derrota do Palmeiras

Na pichação dos muros do Allianz Parque, horas depois de derrota, na madrugada de quinta-feira, uma das expressões escritas pela torcida cobrava a escalação do volante: “Felipe Melo e mais 10”. No desembarque da equipe em São Paulo, ele foi o único que parou para tirar fotos com os torcedores.

No manifesto publicado pela principal torcida organizada do clube nas redes sociais, o volante foi novamente lembrado como uma espécie de solução para os problemas da equipe.

“O Melo não leva desaforo para casa, podemos até perder, mas em pé e lutando. Como é a cara da nossa torcida. O capitão de um time grande não pode ser um chorão... Tem que ser alguém que impõe respeito nos seus jogadores e medo nos adversários. Temos esse jogador no elenco e é a quarta opção. Vai entender!”, diz um trecho do texto.

Após a saída do técnico Cuca, com quem Felipe Melo se desentendeu, no primeiro semestre, havia a expectativa de que Alberto Valentim desse mais oportunidades para o veterano. Melo, no entanto, atuou em apenas dois jogos (Bahia e Ponte Preta).

Diante das sucessivas falhas da defesas nos últimos dois jogos, Valentim prometeu “repensar algumas coisas”. No intervalo da derrota para o Bahia, ele sacou Bruno Henrique e colocou o garoto Fernando, de 18 anos. Diante da necessidade de se recuperar no domingo, diante do Flamengo, no Allianz Parque, Felipe Melo pode ganhar uma chance.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.