Torcida pressiona Roth mais uma vez

A torcida organizada Mancha Alviverde conseguiu, pelo menos em parte, o que queria. Na manhã fria e chuvosa deste domingo, e pelo segundo dia consecutivo, cerca de 20 integrantes da facção estiveram na Academia de Futebol para pressionar Celso Roth. Os torcedores não conseguiram falar com o técnico, a quem chamam de "burro" e acusam de escalar mal o time. O coordenador de Futebol Márcio Araújo, no entanto, com um discurso conciliador pediu trégua. "Gente, precisamos do apoio de vocês para vencer o São Caetano", disse.Palmeiras e São Caetano decidem depois de quarta-feira no Palestra Itália quem passará às quartas-de-final da Libertadores da América. O São Caetano venceu o primeiro jogo por 1 a 0, em seu estádio. O Palmeiras precisa de vitória por mais de um gol de vantagem. No sábado, a Mancha prometera "quebrar tudo", caso o time não se classifique. Neste domingo, a segurança do centro de treinamentos foi reforçada. Funcionários que aos domingos trabalham na sede do clube foram deslocados para a Academia.No coletivo, Roth testou duas formações para o time, uma com Tupã e outra com Basílio no ataque. Roth descarta a hipótese de escalar Tuta ou Muñoz ao lado de Fábio Júnior, como pedem os torcedores. A definição da equipe será no treino de terça-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.