Reprodução/Site Oficial do Racing
Reprodução/Site Oficial do Racing

Medo de punição faz Racing pedir para torcida não chamar corintianos de 'macacos'

Clube mostra preocupação com possíveis punições caso seus torcedores cometam algum ato racista

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de fevereiro de 2019 | 13h21

Antes de enfrentar o Corinthians pela Copa Sul-Americana, o Racing divulgou uma nota em seu site oficial em que informa aos seus torcedores que fazer alusão a macacos ou qualquer ato de racismo pode causar punição ao clube e aos que cometerem tais atos. 

"Se constitui um delito racial fazer gestos de macaco ou dizer "macacos" aos torcedores simpatizantes  em todo o Brasil. É um delito assemelhar uma pessoa a um animal", diz a nota, que está no site oficial do clube argentino. 

O clube ainda deixa claro que há câmeras de segurança em toda a Arena Corinthians e que a polícia poderá prender quem agir com alguma discriminação racial. "As consequências podem ser severas tanto para o  clube - penalização econômica - como para as pessoas implicadas", explicou, lembrando que o torcedor pode até ser proibido de deixar o Brasil, além de receber multas altas e danos judiciais. 

O Racing também avisa que é proibido a utilização de máscaras, instrumentos musicais, bandeiras com temas políticas, rolos de papel higiênico e iluminação a laser, algo comum fora do Brasil. Corinthians e Racing se enfrentam nesta quinta-feira, às 21h30, pela primeira fase da Copa Sul-Americana. 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansRacing Club de Avellaneda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.