Torcidas brigam feio nas arquibancadas da Vila Belmiro

Torcedores do Santos e do São Paulo travaram uma verdadeira batalha nas arquibancadas da Vila Belmiro durante o primeiro tempo do clássico e a situação só foi controlada com a chegada do reforço policial. A confusão aconteceu logo abaixo de onde estavam o ministro dos Esportes, Orlando Silva, e o presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Marco Polo Del Nero. Não parou por aí. Foram atirados dois morteiros na grande área do lado em que se encontrava a torcida são-paulina e chinelos foram arremessados pelo lado dos santistas. Um deles, inclusive, foi recolhido pelo goleiro Rogério Ceni e entregue ao árbitro. Se o problema constar na súmula, o Santos pode ser punido com perda do mando de campo e prejudicado no caso seguir mantendo a boa fase e se classificar para as semifinais e finais do Paulista.O tempo já estava quente na preliminar entre os times das unidades de São Vicente e Campinas, da Fundação Centro de Atendimento Sócio-Educativo do Adolescente (Casa), ex-Febem. A torcida do São Paulo, que estava atrás do gol dos fundos da Vila, provocou o time de São Vicente, que respondeu com gestos obscenos. O goleiro e um zagueiro foram expulsos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.