Torcidas organizadas de Palmeiras e Santos são indiciadas pelo MP

Torcidas organizadas de Palmeiras e Santos são indiciadas pelo MP

Após identificação de sócios envolvidos em confusão, Mancha Alviverde e Torcida Jovem terão 20 dias para responder à Justiça

Vanderson Pimentel, O Estado de S. Paulo

21 de outubro de 2014 | 12h49

Após briga entre palmeirenses e santistas na Rodovia Anchieta, em São Bernardo do Campo, domingo, que resultou na morte de Leonardo da Mata Santos, de 21 anos, por atropelamento, o Ministério Público de São Paulo decidiu indiciar as torcidas organizadas Mancha Alviverde e a Torcida Jovem, que tiveram seus integrantes envolvidos na confusão.

Para levar o caso aos tribunais, o MP levou em consideração o desrespeito ao Estatuto do Torcedor, o prejuízo de danos e o não pedido de reforço policial por parte dos santistas, mesmo com o alto histórico de violência entre as torcidas rivais. Promotor de Justiça do Consumidor e responsável pelo caso, Roberto Senise Lisboa destaca que o inquérito foi instaurado pela gravidade do ocorrido. "Levamos como base a ampla repercussão na imprensa e a condução das investigações do caso", afirmou.

O promotor, que ficou conhecido no meio esportivo por tentar livrar a Portuguesa do rebaixamento do Brasileirão do ano passado, informou que as instituições possuem prazo para responder os indiciamentos. "A Torcida Jovem e a Mancha Alviverde devem se manifestar de forma escrita em até 20 dias em resposta oficial direcionada ao Ministério Público."

Além de Leonardo, que foi enterrado na manhã desta terça-feira, outros dois torcedores ainda estão feridos. O caso mais grave é o de Eli Simão da Silva, que sofreu traumas no crânio e no abdômen, além de fraturas na face e nos membros inferior e superior esquerdos. Ele está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital das Clínicas. Já Marcio Ramon de Souza, de 34 anos, permanece hospitalizado no Hospital Mário Covas, em Santo André, com politraumatismo.

Na confusão, quatro palmeirenses foram detidos e Anderson Ricardo Figueiredo Veras, que estava no Pronto Socorro Central, em São Bernardo do Campo, também foi levado para o Centro de Detenção Provisória no mesmo município, após receber alta. Identificado com o responsável por atropelar Leonardo domingo, André Maceno Apocalipse ainda é aguardado no 2º DP de São Bernardo nesta terça para se entregar à Polícia e prestar depoimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.