Torcidas se reúnem para evitar briga

As torcidas organizadas de Palmeiras e Corinthians, Mancha Alviverde e Gaviões da Fiel respectivamente, irão se reunir nesta quinta-feira com a Polícia Militar, às 17h, no 2º Batalhão de Choque. O motivo do encontro é evitar que cenas de selvageria como as que ocorreram no último clássico se repitam domingo, quando os dois clubes se enfrentam, às 16h, no Morumbi. Momentos antes daquele jogo, no dia 2 de maio, integrantes das duas torcidas se encontraram nas proximidades da estação Barra Funda do Metrô e travaram uma batalha que acabou no espancamento e na morte do corintiano Marcos Gabriel Cardoso Soares, de 16 anos. Pelo crime foram detidos três integrantes da Mancha Alviverde, entre eles o presidente da agremiação, Jânio Carvalho Santos. Os três aguardam na prisão o julgamento que acontecerá no próximo dia 10. Segundo o Major Fernando, comandante do 2º Batalhão, as duas torcidas também irão colaborar. "Os torcedores estão conscientes de que a competição deve ser só para ver quem faz a maior festa. Os chefes das organizadas devem passar esse recado para os seus sócios", afirmou o Major, que deve decidir nesta quinta-feira as rotas que cada grupo de torcedores deve tomar. "O problema maior está nas região periféricas, pois não temos como controlar todo mundo. Os torcedores vêm de longe e acabam se encontrando nas proximidades do estádio. Vamos reforçar a segurança, principalmente nas estações de metrô". Cerca de 350 soldados farão a segurança do clássico. "Poderiam ser mais homens, se no mesmo dia não houvesse o Mix Festival", reclamou o Major Fernando, citando o evento que ocorrerá das 12h até a madrugada de segunda no Pacaembu.

Agencia Estado,

25 Agosto 2004 | 20h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.