Arquivo/AE
Arquivo/AE

Tottenham reafirma desejo de contratar David Beckham

Contrato do jogador com o Los Angeles Galaxy acaba em janeiro de 2013

AE-AP, Agência Estado

09 de setembro de 2011 | 12h48

LONDRES - O Tottenham admitiu nesta sexta-feira o interesse em contratar o meia David Beckham em janeiro, quando acaba o contrato do jogador inglês com o Los Angeles Galaxy, dos Estados Unidos. Aos 36 anos, o astro é visto com bons olhos pelos dirigented do clube inglês, principalmente pelo técnico Harry Redknapp.

"Creio que nunca diria não a David Beckham. Seria muito bom para qualquer clube da Inglaterra", declarou o treinador do Tottenham. "É um profissional de primeiro nível e é o tipo de pessoa que todos querem ao redor. É alguém que nossos jovens admiram e é um grande exemplo para todos."

O interesse do Tottenham vem desde o início desta t6emporada. Beckham aproveitou as férias nos Estados Unidos, no fim do ano passado, para treinar no clube inglês, que tentou seu empréstimo na época, mas não teve sucesso. "Ele já treinou conosco e foi fantástico tê-lo por perto, como jogador e pessoa", afirmou Redknapp.

Desta vez, o Tottenham espera contar com o desejo do jogador, que não terá mais vínculo com o Galaxy a partir de janeiro, quando acaba seu contrato de cinco anos. Mesmo assim, o técnico admite que a contratação não será fácil. "Quais são as chances de fecharmos? Não tenho ideia. Sou honesto, não conheço a situação econômica e o que será necessário. Nunca falei com o nosso diretor", disse.

Além das dificuldades econômicas, o Tottenham precisará vencer a concorrência. O Queens Park Rangers, também da primeira divisão inglesa, também já admitiu o interesse em Beckham, através de seu dono, Tony Fernandes. O técnico da equipe, Neil Warnock, no entanto, disse desconhecer o assunto. "O Tony Fernandes e eu nunca falamos sobre isso ainda."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.