Dylan Martinez/Reuters
Dylan Martinez/Reuters

Tottenham sofre, mas supera retranca do Brighton e continua em 3º no Inglês

Eriksen, aos 43 minutos do segundo tempo, fez o único gol da partida

Redação, Estadão Conteúdo

23 de abril de 2019 | 18h21

O Tottenham precisou de mais de 80% de posse de bola, 26 finalizações e quase mil toques na bola para derrotar o Brighton, nesta terça-feira, pela 35ª rodada do Campeonato Inglês, por 1 a 0, em casa, com o único gol do duelo saindo aos 43 minutos do segundo tempo.

Com o resultado, o time de Londres alcançou os 70 pontos e sustentou a terceira colocação. O Chelsea soma 67, enquanto o Arsenal tem 66 e o Manchester United, 64. Com 34, o Brighton é o 17º e briga contra o rebaixamento, tendo somente três de vantagem para a zona da degola.

O poderoso ataque do Tottenham não conseguiu superar a barreira que o Brighton colocou à frente do goleiro Ryan nos primeiros 45 minutos. Os dez jogadores de linha da equipe se posicionaram antes da intermediária de defesa, o que dificultou muito a equipe do técnico Mauricio Pochettino. Por várias vezes, os jogadores se atiraram nas bolas e interceptaram as finalizações de Son e Lucas Moura.

Destaque para os grandalhões zagueiros Dunk (1,92m) e Duffy (1,93m), imbatíveis nas bolas aéreas, que ainda tiveram fôlego para ir ao ataque e tentar o cabeceio contra o gol de Lloris. Com o passar do tempo, os jogadores do Tottenham se irritaram e passaram a arriscar chutes de fora da área, sem sucesso. Foram 14 finalizações, com apenas duas no gol.

No último lance do primeiro tempo, Dele Alli fez grande jogada, ao matar a bola de bico com o pé direito e finalizar com categoria com a perna esquerda. Duffy, apesar de bastante alto, mostrou agilidade para desviar a bola e evitar o gol do Tottenham.

No segundo tempo, logo a um minuto, Dunk forçou Lloris a fazer boa defesa, após cabeceio. Mas foi a única vez que o goleiro da seleção francesa foi ameaçado nos 45 minutos finais. A partir daí, os 21 jogadores restantes em casa se posicionaram da intermediária do Brighton para trás.

Com paciência, o Tottenham abusou do toque de bola e seguiu finalizando no gol de Ryan, que fez sua melhor defesa, aos 20 minutos, após tiro forte de Danny Rose de fora da área. Alderweireld acertou a trave esquerda, enquanto Son e Delle Ali falharam

Aos 37, Eriksen acertou bom chute, Ryan espalmou para frente e a zaga afastou. Mas aos 43 o dinamarquês arriscou de novo e mandou a bola no canto esquerdo do goleiro, que não chegou a tempo de defender. Explosão de alegria dos 56.251 torcedores, em sua maioria torcedores do Tottenham.

Foi o quarto jogo do Tottenham em sua nova casa e a quarta vitória, a terceira pelo Campeonato Inglês. O outro jogo foi pela Liga dos Campeões, na vitória, por 1 a 0, sobre o Manchester City.

GOL HISTÓRICO 

Em Watford, o Southampton empatou com o Watford por 1 a 1, com direito ao gol mais rápido da história da Era Premier League do Campeonato Inglês. Shane Long, do time visitante, fez o primeiro gol do jogo, aos 7s69, após interceptar um chutão de Craig Cathcart. O atacante correu até na entrada da área e encobriu, com categoria, o goleiro Ben Foster. O gol mais rápido pertencia a Ledley King, do Tottenham, que em 2000 marcou diante do Bradford após apenas 9s9 de jogo.

O Watford foi empatar aos 45 minutos da etapa final, com Andre Gray. Com a igualdade no placar, o time chega aos 50 pontos, na sétima colocação. O Southampton atinge 37, em 16º, e permanece na briga para continuar na elite do futebol inglês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.