Tradição do Grêmio faz Luxemburgo manter esperanças

A derrota por 2 a 0 diante do Palmeiras, em casa, na última quarta-feira, tornou a classificação à decisão da Copa do Brasil uma tarefa ainda mais complicada para o Grêmio. Mesmo com a dificuldade, o técnico Vanderlei Luxemburgo não jogou a toalha e aposta na tradição do clube para reverter a situação no confronto de volta, em Barueri, no próximo dia 21.

AE, Agência Estado

14 de junho de 2012 | 08h48

"O Grêmio tá no caminho certo, estamos avançando, caminhando, fizemos contratações, temos o planejamento. E temos ainda a Copa do Brasil, que não terminou. O Grêmio é time grande, que está acostumado a grandes decisões. Nada impede que cheguemos lá em Barueri e consigamos o resultado", comentou.

Apesar do placar adverso em casa, o treinador fez questão de elogiar a equipe e eximiu qualquer jogador de culpa pelo resultado. No lance do primeiro gol, a torcida criticou o jovem meia Rondinelly, que perdeu a bola e acabou cedendo o contra-ataque que resultou no gol de Mazinho.

"Nós tivemos posse de bola, domínio do jogo e o Palmeiras jogou por uma bola, um lance. Era bola parada e contra-ataque. E eles acharam essa bola, faz parte do futebol. Não podemos crucificar ninguém. Não temos que sair chateados, ir para casa triste porque o Palmeiras conseguiu o resultado", avaliou Luxemburgo.

Mesmo admitindo os erros cometidos, o técnico gremista fez questão de elogiar o trabalho do adversário. "Tivemos domínio, o que faltou foi uma jogada mais de efeito, um drible, mas nós nos impusemos. Quando a gente vê muito defeito na gente, esquece os méritos do adversário, que conseguiu impor sua proposta e sair com a vantagem. O Palmeiras se propôs a marcar o Grêmio e fez isso muito bem".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.