Tradição será a arma do Palmeiras

A tradição pesa a favor do Palmeiras, que conquistou 21 títulos regionais contra nenhum do Paulista de Jundiaí ao longo da história. Mas não houve jogador palmeirense que reivindicasse favoritismo para as partidas semifinais após a suada vitória sobre a Portuguesa Santista por 2 a 1, ontem, em Ulrico Mursa.Hoje à tarde, na sede da Federação, serão definidos locais e datas dos dois confrontos, inicialmente programados para os dois próximos finais de semana. "Claro que seremos mais cobrados a partir de agora. Mas o Paulista merece todo o nosso respeito. Teremos dois jogos disputados de igual para igual.", acredita o goleiro Marcos.Na primeira rodada do Paulistão, o Palmeiras goleou o Paulista por 5 a 2 no Parque Antártica. Um resultado, segundo Marcos, que não pode ser levado em consideração. "Nosso adversário evoluiu muito desde então. Hoje, possui um conjunto invejável, principalmente pela grande capacidade de seu treinador (Zetti). A atenção terá que ser redobrada. Não adianta entrar na conversa da torcida e de parte da imprensa. Não há favorito."O goleiro lembrou o susto vivido ontem em Ulrico Mursa, quando a equipe saiu atrás do marcador e só virou na etapa final, para pedir a atenção total do grupo. "O Paulistão é um campeonato equilibrado, que costuma pregar peças. Veja o exemplo do São Paulo, que passou a competição inteira invicto e ontem foi eliminado ao perder para o São Caetano. E da própria Santista, que poderia ter conquistado a vaga."Marcos ressaltou a tranqüilidade exibida pelo grupo, ontem, em Santos, como um diferencial. "No intervalo, Picerni nos disse que teríamos mais 45 minutos para reverter o resultado, e que para isso precisaríamos manter a cabeça no lugar. Ainda bem que o grupo assimilou o que foi dito e soube chegar aos gols. No final, o grande destaque da Santista acabou sendo o goleiro Cristiano, que evitou a goleada."A emoção da classificação foi dividida com a mãe de Marcos, que ontem completou mais um ano de vida. "Dona Antônia merece compartilhar esse momento especial. E é para ela que dedico esse resultado. Mas não adianta comemorarmos antes do tempo e imaginar que faremos a final. Tem muita coisa pela frente."Para Diego Souza, que hoje completa 20 anos, a eliminação do São Paulo do Paulistão é um motivo a mais de alegria. "Trata-se de um time forte, por isso com certeza vou comemorar." Mas o bom humor do meia terminou ao ser lembrado da atuação apática da equipe no primeiro tempo ontem em Ulrico Mursa. "Tomamos um sufoco injustificável. A equipe deu mostras de estar desanimada. Ainda bem que o papo com o treinador no intervalo surtiu efeito..."

Agencia Estado,

22 de março de 2004 | 10h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.