Tragédia ameaça candidatura africana

Os acontecimentos de hoje em Johannesburgo, quando 47 pessoas morreram em um estádio de futebol, remetem imediatamente para o futuro. Nem bem os corpos dos mortos eram retirados do Ellis Park, surgiram dúvidas em torno da pretensão da África do Sul de organizar a Copa de 2010. O país esteve perto de ganhar a corrida para 2006 - foi derrotado pela Alemanha por um voto - e tem a clara simpatia da Fifa. "Não é hora de falarmos em 2010", retrucou o ministro dos Esportes Ngconde Balfour. "O momento é de pensar nas famílias que estão sofrendo."Os sul-africanos tiveram contra si, na eleição do ano passado, não só a "traição" do representante da Oceania (que votou em favor dos alemães), mas a desconfiança dos aliados na capacidade de garantir segurança, para jogadores e torcedores.A Fifa mandou pêsames para o governo da África do Sul, mas recebeu um golpe político e financeiro hoje. O grupo de marketing esportivo mais importante do mundo, a ISMM, teve decretada falência por um tribunal da cidade suíça de Zoug. A empresa era parceira da Fifa na comercialização dos Mundiais de 2002 e 2006. Um de seus ramos é a ISL, que teve parceria com o Flamengo até dias atrás.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.