Tranqüilo, Rojas espera por futuro

O São Paulo apesar de ter mantido a vantagem de 1 a 0 durante quase todo o jogo, jogadores e técnico consideraram justo o resultado de 1 a 1 contra o Internacional. O técnico Rojas disse que os dois times entraram em campo em situações diferentes e que nessa circunstância, tomada a saída de Diego Tardelli por lesão, a pressão do Inter se tornou natural. "No segundo tempo o Inter fez o São Paulo recuar" admitiu Rojas.Dizendo-se cansado do trabalho intenso dos últimos meses e admitindo ter ganhado muitos cabelos brancos a frente do São Paulo, Rojas disse que a idéia é não poupar ninguém na última rodada contra o Flamengo e definir seu futuro antes de sair de férias, até a terça feira da semana que vem.Ele disse que não sabe se fica no comando do time na para a Libertadores e nem se fica na comissão técnica do clube. "Não posso ficar surpreso com mais nada no futebol", disse, dando a entender que está preparado para qualquer decisão que venha ser tomada com a diretoria do clube.Os jogadores também consideraram o resultado razoável mas reclamaram do juiz Wagner Tardelli que não teria visto os jogadores do Inter empurrarem Ed Carlos, e nem fazerem pressão sobre o goleiro Roger, na cobrança de falta que resultou no gol de empate. Roger disse que teve que enfrentar três atacantes impedidos e com isso foi forçado a soltar a bola que o atacante Sidemar empurrou para as redes.Ed Carlos, que substituiu Jean, disse que foi empurrado por um atacante adversário e por isso nem viu o lance. O goleiro Roger fez algumas defesas importantes e considera que voltou bem ao time depois de quatro meses na reserva. Disse que mesmo classificado para a Libertadores, o São Paulo mostrou o empenho de sempre e já falou na competição sul-americana prevendo que o clube vai precisar de alguns reforços para disputar a competição.Diego Tardelli, autor do gol do São Paulo, e que perdeu a chance de ampliar o placar quando o jogo estava 1 a 0, considerou o resultado "de bom tamanho". Mas também reclamou do juiz. "Eu fui empurrado, teria sido pênalti", contou referindo-se ao lance em que caiu sobre o polegar da mão direita e que o afastou do jogo aos 20 minutos do segundo tempo. Ele saiu com a mão enfaixada e depende de exames para saber a gravidade da lesão.O Inter que esperava ganhar para confirmar a classificação para a Libertadores, admitiu a frustração mas não reclamou do resultado. "A verdade é que não jogamos bem, avaliou o técnico Murici Ramalho. "Conseguimos o empate na base da dedicação e na raça, tanto que o gol foi numa bola alçada na área e não trabalhada".Murici reconhece que a decisão em São Caetano do Sul quando o time precisa de um empate, vai ser ?dureza?, mas acredita na classificação. O presidente do clube Fernando Carvalho revelou que vai torcer para a Eslováquia no jogo contra o Brasil pelo Mundial de Seleções Sub-20 para que Daniel Carvalho, Nilmar possam estar de volta ao Inter no próximo fim de semana e ajudar o time a alcançar o seu objetivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.