Charles Platiau/Reuters
Charles Platiau/Reuters

Tratamento conservador de Neymar terá repouso e fisioterapia nas próximas semanas

Evitando cirurgia, atacante tem utilizado uma imobilização no pé e pode fazer exercícios leves

Glauco de Pierri, O Estado de S.Paulo

31 Janeiro 2019 | 07h10

Quase um ano depois de ter sido submetido a uma cirurgia para a correção de sua primeira fratura no quinto metatarso do pé direito, Neymar passará por um tratamento diferente desta vez. Se em 2018, o atacante do Paris Saint-Germain e da seleção brasileira iniciou sua recuperação após uma cirurgia, agora, com o método conservador, ele recomeçará sua luta para voltar a jogar com muito repouso.

"No tratamento conservador, o atleta utiliza algum tipo de imobilização, proporcionado a estabilidade necessária para uma melhor consolidação da fratura", explica Eduardo Palmieris, ortopedista, traumatologista e integrante da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. "Seja com tala gessada ou gesso, o importante é o atleta manter o repouso", diz.

Neste período, para não perder massa muscular, e para manter parte de seu preparo físico, Neymar poderá se exercitar com cautela. "Ele pode manter o fortalecimento dos membros superiores e inferiores, desde que não pise o pé no chão, mantendo o local imobilizado."

O tratamento conservador prevê a prescrição de analgésicos, mas eles não têm influência na cicatrização da lesão, só atenuam dores na região. Segundo os protocolos, o processo de cicatrização leva até seis semanas. "Cada paciente reage de um jeito ao tratamento e cada fratura possui sua característica. Depois, temos o tempo de reabilitação fisioterápica após fratura consolidada, que pode se estender por semanas", afirma o especialista.

Para o médico, o maior problema que poderá afetar Neymar é a demora na consolidação da fratura. "Em alguns casos, essa recuperação pode se estender mais do que o previsto. Também pode não ocorrer a consolidação - nesse caso, passa a ser necessária a intervenção cirúrgica."

VIAGEM PARA BARCELONA

Nesta quarta, o atacante foi a Barcelona para consultar-se com um médico da cidade catalã. Nem o estafe do jogador nem o PSG revelaram o nome do profissional ou deram detalhes sobre a viagem. "Neymar viajou a Barcelona apenas como parte do protocolo médico estabelecido pelo PSG para tratar sua lesão no pé direito", limitou-se a informar o clube francês.

Esse protocolo, de acordo com o jornal francês Le Parisien, passa por tratamento que envolve a injeção de células-tronco e plasma rico em plaquetas na área da ferida, técnica na qual a Espanha está avançada. Essa aplicação é feita em uma única vez e tem o objetivo de cicatrizar e solidificar a fratura. A técnica é liberada no Brasil atualmente apenas para protocolo de pesquisa, não sendo recomendado seu uso na prática clínica.

DUAS PERGUNTAS PARA EDUARDO PALMIERIS

1. O prazo de recuperação no tratamento conservador é mesmo de dez semanas?

A cicatrização leva de 4 a 6 semanas. Cada paciente reage de um jeito ao tratamento e cada fratura possui sua característica. Depois, temos o tempo de reabilitação fisioterápica após fratura consolidada, que pode se estender por semanas.

2. Quais problemas podem surgir durante processo de cicatrização? 

O retardo da consolidação da fratura é o principal problema. Em alguns casos, essa recuperação pode se estender mais do que o previsto. Também pode não ocorrer a consolidação – nesse caso, passa a ser necessária a intervenção cirúrgica.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.