Filippo Monteforte/AFP
Filippo Monteforte/AFP

Treinador da Bélgica exalta postura dos jogadores: 'Foi um teste de caráter'

Belgas conseguiram a classificação às quartas de final mesmo com o Japão abrindo 2 a 0 no placar

Estadão Conteúdo

02 Julho 2018 | 18h42

O técnico Roberto Martínez não poupou elogios aos jogadores da seleção da Bélgica, nesta segunda-feira, depois da grande virada sobre o Japão por 3 a 2. Na sua avaliação, elenco e time passaram em um teste, após estarem perdendo por 2 a 0 até a metade do segundo tempo. A reviravolta levou os belgas às quartas de final da Copa do Mundo da Rússia. O próximo adversário será o Brasil.

+ Saiba que horas é o jogo do Brasil nas quartas de final da Copa do Mundo

+ Técnico japonês admite surpresa com contra-ataque mortal da Bélgica no final

"Esse é o tipo de coisa que acontece em Copa do Mundo. Foi um teste de caráter e um teste para o time. O resultado diz tudo sobre este grupo de jogadores", declarou o técnico. "No futebol, às vezes você precisa ser perfeito. Numa Copa do Mundo, principalmente num mata-mata, tudo o que importa é passar de fase."

Para Martínez, a equipe belga soube encontrar soluções quando estava perdendo por 2 a 0, no início do segundo tempo. "Você precisa buscar uma reação, mas o que você mais precisa é de desejo e sentimento de grupo, com jogadores que estão desesperados para jogar", afirmou.

"Se você observar as estatísticas, não há muitos jogos em que um time conquista a virada após estar perdendo por 2 a 0. Acho que esta reação se deve à personalidade, ao foco, ao desejo, à atitude de nunca desistir dos jogadores. Fazer isso ao longo de 90 minutos é uma conquista incrível. Estou muito orgulhoso dos meus jogadores"

 

Martínez também elogiou o time do Japão, que chegou até as oitavas de final pelo critério de cartões amarelos na fase de grupos. Mesmo assim, fez duro duelo contra os favoritos belgas. "Temos que parabenizar o Japão. Eles se preparam muito bem para o jogo. Foi uma partida muito difícil."

O próximo desafio dos belgas será o Brasil, na próxima sexta-feira, às 15 horas (de Brasília), em Kazan, valendo vaga nas semifinais.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.