Treinador do Corinthians reclama de uma ´caça ao Leão´

O Pacaembu inteiro vaiou o Corinthians. E Leão foi chamado de burro. Mas o técnico jurou que não viu nada disso. ?Manifesto da torcida? Que manifesto? Pedindo a minha cabeça? Não vi.? Leão não conseguiu explicar o empate contra o Rio Branco, time que está na zona do rebaixamento do Paulistão. Preferiu usar os microfones para dizer que está no meio de uma campanha: a da ?caça ao Leão?.O técnico reclamou da arbitragem, claro, e disse que a imprensa o persegue. E chamou de ?aproveitador? e ?puxa saco? o candidato à presidência Andrés Sanchez, que já deixou claro que o demitirá, caso seja eleito na terça-feira. ?Para assumir, ele (Sanchez) precisa ganhar. Eu não sou político, muito menos aproveitador. Esse cidadão já cansou de puxar meu saco?, detonou Leão.Ainda no gramado, logo após o jogo, o técnico descontou sua raiva no fotógrafo Ari Ferreira, do diário Lance!. Os dois bateram boca. Leão disparou uma série de palavrões para o profissional, antes de ir para o vestiário. Cinco minutos depois, voltou para pedir desculpas. ?Um homem sabe quando está errado e sabe pedir desculpas?, disse.Durante a semana, Leão já havia insultado a repórter Marília Ruiz, da TV Record. Questionado por um radialista se pediria desculpas a Marília, o técnico ficou uma fera. ?Ela é que me deve desculpas! Eu podia ir à polícia por assédio sexual, porque ela ficou me seguindo pelo aeroporto. Como eu havia avisado que não daria entrevistas, ali não era a repórter?, disse Leão, sem completar a frase.Na coletiva, após o jogo, Leão bateu boca com mais dois repórteres. E criticou as perguntas de todos os outros, afirmando que estava sendo ?provocado?. O técnico ameaçou: ?Tenho que pensar 100 vezes para não tomar certas atitudes.?Reclamando de complô da imprensa para derrubá-lo, Leão inovou desta vez. Disse que recebeu uma ?denúncia anônima? de um jornalista sobre a suposta campanha dos repórteres para derrubá-lo. ?Tenho no celular a gravação de companheiro de vocês dizendo que tem algo armado para me derrubar. Sei até quem encomenda perguntas esperando por um efeito. Isso é provocação. Agradeço a essas pessoas.?Leão deixou claro que não pedirá demissão, nem mesmo caso a equipe não vença o Pirambu, na próxima quinta-feira, pela Copa do Brasil, ou o Palmeiras, no domingo, pelo Paulistão. ?Pessoas falam que ganho muito. Mas eu trabalho honesto. Eu dou expediente. Não sei quanto custa um título ou um rebaixamento. Mas eu ganho honestamente.?O técnico detonou também o árbitro Rodrigo Cintra, que expulsou dois jogadores do Corinthians no segundo tempo. ?Ele veio até mim e falou: ?O que você está olhando? Eu não gosto que homem olhe para mim?. Fiquei surpreso com a conduta. Isso é uma provocação. Se eu reajo, sou imediatamente eliminado?, disse Leão.Depois de criticar seus jogadores por ?chutarem todas as bolas em cima do goleiro? contra o Pirambu, o técnico negou que estivesse criando atritos com os atletas. ?Não estou queimando ninguém, estou falando da realidade de um treinamento.?No final da entrevista, Leão reconheceu que foi chamado de burro pela torcida, sim. E ironizou a Fiel. ?Foi esse mesmo burro que salvou o Corinthians do rebaixamento.? Um dos gritos da Fiel foi: ?Leão, presta atenção, o Paulistão agora é obrigação.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.