Treinador do United defende Fellaini sobre cusparada em clássico

Treinador do United defende Fellaini sobre cusparada em clássico

De acordo com Louis Van Gaal, lance com Sergio Agüero ocorreu de forma não intencional; belga já se envolveu em polêmica semelhante

O Estado de S. Paulo

03 de novembro de 2014 | 09h36

Acusado de ter cuspido em Sergio Aguero durante a vitória do Manchester City por 1 a 0 sobre o Manchester United ao ser flagrado por câmeras de TV, Marouane Fellaini já encontrou um parceiro para alegar inocência. Em entrevista após a partida, válida pelo Campeonato Inglês no Etihad Stadium, o treinador da equipe vermelha, Louis Van Gaal, defendeu o belga.

Para Van Gaal, a atitude de Fellaini não foi algo premeditado e ocorreu de forma sem intenção. "A TV mostra que ele está gritando e às vezes quando você grita, sai um pouco de saliva. Eu acho que ele não cuspiu", afirmou o treinador holandês na coletiva.

O lance que originou a polêmica ocorreu ainda no primeiro tempo após Fellaini e Agüero disputarem uma bola dentro da área do Manchester United. Irritado pelo argentino ter caído no chão pedindo pênalti, o belga abaixou-se para gritar com o atacante no momento em que teria sido dado o suposto cuspe. Árbitro da partida, Michael Oliver deixou o lance seguir.

A Associação de Futebol Inglês deve esperar para ver se Oliver relatou o incidente na súmula. Caso o lance não tenha sido anotado, a federação pode pedir as imagens da TV para tomar medidas disciplinares contra o volante belga.

Fellaini já se envolveu em confusão parecida no mesmo clássico. Em março, na vitória do Manchester City sobre o United no Old Trafford por 2 a 1 , o belga acertou uma cotovela em Pablo Zabaleta e enquanto o argentino estava no chão esperando atendimento médico, o volante também teria soltado uma cuspida no jogador. Julgado pela Federação à época, Fellaini alegou inocência, que foi aceita pelos juízes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.