RUBENS CHIRI/ SÃO PAULO
RUBENS CHIRI/ SÃO PAULO

Treinador lamenta chance perdida de 'matar o jogo': 'Quem não faz toma'

Aguirre admite que gol desperdiçado quando São Paulo vencia por 1 a 0 'desestabilizou um pouco' a equipe

Renan Cacioli, O Estado de S. Paulo

26 de julho de 2018 | 23h14

O técnico do São Paulo, Diego Aguirre, não escondeu a frustração por um lance que poderia ter mudado o resultado do jogo e, no mínimo, evitado a derrota de virada para o Grêmio, por 2 a 1, na noite desta quinta-feira, em Porto Alegre.

+ Hudson reclama de arbitragem do Rio em jogo do São Paulo

+ Aguirre perde três titulares do São Paulo para jogo de domingo

+ Veja lance a lance como foi: Grêmio 2 x 1 São Paulo

Aos 45 do primeiro tempo, Rojas achou Diego Souza na direita. O camisa 9 invadiu a área e demorou a decidir se batia no gol ou cruzava para Nenê, que entrava pelo meio da área. Ao optar pelo "chuveirinho", atrasou ainda mais a jogada. Quando Nenê finalizou de primeira, já sem Marcelo Grohe à frente, o zagueiro Kannemann deu um carrinho salvador e evitou o que seria o gol do 2 a 0. No lance seguinte, Everton empatou para os donos da casa. 

"Tivemos uma situação para matar o jogo, ou, ao menos, fazer 2 a 0 e, aí, tomamos no lance seguinte o gol. Isso nos desestabilizou um pouco. Mas temos que continuar, estamos em uma boa posição, lutando para estarmos nos primeiros lugares. Não dá tempo de lamentar muito, pois domingo já tem jogo", afirmou, referindo-se ao duelo com o Cruzeiro, às 16h, no Mineirão, pela 16ª rodada. "Mas futebol é assim: quem não faz toma", completou.

A respeito da análise da partida, o uruguaio reconheceu que faltou à sua equipe ficar mais com a bola nos pés - o jogo terminou com vantagem gremista de 64% a 36%, mas, em determinado momento do primeiro tempo, o adversário chegou a ter quase 80% de posse.

"A posse de bola não é algo que necessariamente marca uma superioridade. Na Copa do Mundo a França foi campeã e todos times tinham mais posse de bola que eles. É verdade que perdemos a bola muito rápido às vezes e não deu para controlar mais o jogo."

Fora do comum. Na visão de Diego Souza, autor do gol são-paulino, o time cometeu um erro que não vinha cometendo até então: "Nossa equipe deu espaços, coisa que não costuma dar. Mas é normal aqui, um jogo muito dificil, o Grêmio é candidato (ao título). É normal vir aqui e ter um resultado negativo", ponderou o camisa 9, que chegou a nove gols na temporada, um a menos do que Nenê, artilheiro do São Paulo com dez.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.