Treinador não leva Robinho para estréia do Real no Espanhol

Jogador brasileiro não fica nem no banco de reservas na partida deste domingo contra o Deportivo La Coruña

EFE,

30 de agosto de 2008 | 09h38

O atacante Robinho não entrou na relação de jogadores para disputar a primeira partida do Real Madrid no Campeonato Espanhol, contra o Deportivo La Coruña neste domingo, por decisão do técnico Bernd Schuster.Veja também: Robinho afirma que negociações com o Chelsea continuamO treinador do Real Madrid disse acha que o brasileiro não está concentrado devido ao fechamento do mercado de contratações em 1.° de setembro e esclareceu que Robinho não se negou a viajar. Ele falou sobre o estado do jogador e admitiu que o caso ainda não está fechado, pois ainda existe a possibilidade de transferência para o Chelsea, de Luiz Felipe Scolari."Gostaria que estivesse fechado, mas não é assim. Robinho não pode ir a La Coruña. Acontecem muitas coisas e hoje não pode estar tudo fechado. Estará em 2 de setembro", admitiu Schuster."Ele não se negou a viajar. Eu tomei a decisão. Acho que é melhor que fique, esperar que se resolva o tema definitivamente. A partir da semana que vem, quando retornar de sua seleção, saberemos como tratar isso e mudaria tudo", acrescentou Schuster.O técnico detalhou a mudança de opinião do corpo técnico, que, a princípio, decidiu continuar contando com Robinho, até que viu o atacante brasileiro desfocado."Para nós, continua sendo o mesmo grande jogador, mas temos que olhar as condições nas quais chega o jogador. Nas últimas semanas, a pressão a seu redor foi mais forte, houve declarações e o jogador não está em condições".O comandante do Real chegou a comparar a situação de Robinho como as que ocorrem na vida entre um pai e um filho e admitiu que está aconselhando o atleta a ficar na equipe da Espanha."Sei o que é melhor para ele, como o pai a um filho. Sabemos o que é melhor para o filho, mas ele não pensa. Com o tempo, vai se dar conta de que temos razão", assinalou.Schuster reiterou que, em suas decisões esportivas, não há intromissão do clube. "É uma decisão minha, não do clube. Nunca o clube deu uma opinião. Deixou a decisão para mim. Nas duas últimas semanas, são decisões minhas levá-lo ou não".O técnico mostrou sua esperança de que, no final, Robinho continue no Real Madrid, e mostrou seu desejo de que o brasileiro marque o gol 5.000 do time na história do Campeonato Espanhol.Mais enfático, o presidente do Real, Ramón Calderón, afirma que Robinho ficará no clube espanhol. "Ele seguirá aqui e quem diz isso sou eu. Ele é um bom menino, mas mal aconselhado".RETORNO  E AUSÊNCIASSem Robinho, o time da capital espanhola contará com o retorno do zagueiro italiano Fabio Cannavaro. O jogador italiano estava afastado devido a uma grave lesão no tornozelo sofrida dias antes do início da Eurocopa. Já totalmente recuperado, Cannavaro é a principal novidade de Schuster.O treinador ainda contará com muitos outros desfalques, como os meias holandeses Rafael Van der Vaart, por suspensão, e Wesley Sneijder, lesionado, além do lateral espanhol Michel Salgado e do meia argentino Saviola, também machucados.Já o lateral-esquerdo Marcelo e o meia argentino Fernando Gago, que estavam com as respectivas seleções olímpicas de seus países, também retornam à equipe espanhola.Os outros jogadores relacionados para o jogo foram os goleiros Iker Casillas e Dudek; os zagueiros Sergio Ramos, Pepe, Heinze, Metzeder e Torres; os meias Diarra, Gago, De La Red, Guti e Drenthe; e os atacantes Robben, Higuaín, Raúl e Van Nistelrooy. (Atualizada às 12h40) 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.