Omar Sanadiki/Reuters
Omar Sanadiki/Reuters

Treinadora assistente conquista espaço em time de futebol masculino na Síria

Depois de abandonar a carreira como jogadora, Maha Jannoud atua como auxiliar técnico do Al-Muhafaza

Reuters, O Estado de S.Paulo

08 de janeiro de 2019 | 10h00

No campo de futebol, Maha Jannoud passa orientações para os jogadores como qualquer outro auxiliar técnico, mas com uma diferença: ela é uma mulher em um mundo que tem sido em grande parte dominado por homens.

Maha, de 32 anos, que já jogou pela seleção feminina da Síria, acredita ser a primeira mulher no Oriente Médio a trabalhar como assistente em um time masculino profissional.

Vestindo um conjunto esportivo, com o cabelo preso em um rabo de cavalo, ela lida muito bem com o cargo de assistente técnica em um time em Damasco.

“Quando a pessoa transmitindo a mensagem do treinamento está confiante na sua informação e tem um carisma especial e liderança no campo, não há nenhuma diferença entre um homem e uma mulher”, disse durante intervalo do treino.

Maha pode ter tido maior facilidade para conquistar a aprovação dos jogadores já que costumava jogar pelo mesmo clube, o Al-Muhafaza, no time feminino, onde começou a treinar depois que uma lesão encerrou sua carreira como jogadora.

“No início foi um pouco difícil”, disse o jogador Amjad Katkout sobre ter uma técnica mulher. “Mas depois nós nos acostumamos. Ela se tornou como uma irmã ou uma amiga. É normal”.

Bons resultados também podem ajudar a consolidar a posição de Maha, à medida que o Al-Muhafaza tenta subir da segunda para a primeira divisão na Síria.

Ao longo dessa temporada, a equipe venceu oito das dez partidas que disputou e empatou as outras duas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.