WIlton Junior/Estadão
WIlton Junior/Estadão

Treino do Brasil tem tentativa de invasão, fãs em viaduto e incidente com Neymar

Atacante quase foi atingido por grade que separava os jogadores do público durante autógrafos

Marcio Dolzan, enviado especial / Sochi, O Estado de S.Paulo

12 Junho 2018 | 06h46

  Sol forte, pelo menos quatro invasões de gramado, grade caindo próximo a Neymar e centenas de pessoas se espremendo no guard-rail de um viaduto marcaram o primeiro treino da seleção brasileira aberto ao público em Sochi - e, a rigor, o primeiro com presença de torcida desde que o grupo começou a se preparar para a Copa do Mundo, em 21 de maio. Em campo, trabalho leve para olhares atentos de quatro mil pessoas, em sua maioria crianças, que conseguiram lugar no estádio Slava Metreveli.

+ Fred fica fora do primeiro treino da seleção brasileira na Rússia

+ Com más lembranças, Thiago Silva e Willian ganham nova chance de brilhar na Rússia

Ao fim do treino, alguns jogadores foram até próximo à arquibancada dar autógrafos, momento que gerou um tumulto inevitável. Neymar, que junto com o lateral Marcelo foi o único a ter o nome gritado pela torcida durante a atividade, foi o mais assediado. A ânsia de conseguir uma lembrança com o atacante do Paris Saint-Germain foi tanta que uma pequena grade acabou caindo na direção do atacante quando o público tentava se aproximar. Ele deu um pulo para trás e não chegou a ser atingido, mas o incidente acabou antecipando o fim da rodada de autógrafos.

A torcida se comportou de forma ordeira durante o tempo inteiro, mas isso não inibiu quatro invasões de gramado por parte de adolescentes. Todos foram rapidamente contidos por seguranças da Fifa ou da própria CBF e retirados sem muita truculência.

Quem não conseguiu lugar no estádio tentou assistir do alto de um viaduto que passa atrás de um dos gols. Este 12 de junho é feriado na Rússia - a data marca o início da reforma constitucional do país, ao final da União Soviética -, o que levou menos carros as ruas e tornou o viaduto uma arquibancada "popular". Centenas de pessoas se aglomeraram no local.

 

O treino desta terça foi um evento Fifa, e como tal obrigou a seleção a abrir mão de seus trabalhos fechados. A prefeitura de Sochi distribuiu a maior parte dos 4 mil ingressos disponíveis - menos da metade da capacidade do estádio, de 10 mil lugares - para crianças da rede municipal de ensino. Convidados da Fifa e autoridades completaram a plateia.

Desde que se reuniu para iniciar a preparação para a Copa do Mundo, a seleção não havia feito nenhum treino realmente aberto à torcida. Na primeira semana, em Teresópolis, houve uma atividade para convidados e outra para cerca de 200 torcedores. Naquela ocasião, contudo, um tumulto levou centenas de pessoas à Granja e todos acabaram ficando afastados do gramado. Em Londres, todas as atividades foram fechadas.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.