?Treino secreto? vira motivo de chacota

A imprensa foi convidada a se retirar do Estádio Olímpico de Seul para que Emerson Leão comandasse um treino secreto, hoje à tarde, ajustando os últimos detalhes para o clássico contra a França, numa das semifinais da Copa da Confederações. Havia mais de 15 homens da Polícia Especial da Capital orientados a assegurar a privacidade do treinador e dos atletas. Leão não atentou, porém, para um aspecto logístico. As rampas de acesso das arquibancadas do estádio têm acesso direto a uma enorme praça pública e só uma grade as separam dos assentos. Dessa forma, o secreto passou a ser motivo de chacota. Quem quis assistir ao treino, ficou fora do estádio e conseguiu observar o segredo guardado por Leão para enfrentar os franceses: tratava-se na verdade da escolha dos cobradores para a eventualidade de a decisão da vaga para a final da Copa das Confederações ter de ser feita em cobranças de pênaltis, o que só se confirmará se o jogo terminar empatado no tempo normal e não houver gol na prorrogação, o golden goal (gol de ouro). O zagueiro Edmílson foi o destaque, com melhor aproveitamento. Logo atrás dele, Carlos Miguel, Fábio Rochemback e Ramon também acertaram bastante e estão na lista definida por Leão, embora não anunciada. Os atacantes Washington e Leandro e o lateral Léo desperdiçaram alguns chutes, mas, no geral, estiveram bem. Se não houver imprevisto, Leão vai optar por cinco desses sete nomes para tentar garantir a classificação nos pênaltis.

Agencia Estado,

06 de junho de 2001 | 15h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.