Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Trem exclusivo levará torcida são-paulina ao clássico no Itaquerão

Esquema de segurança para jogo com o Corinthians foi decidido em reunião com a PM e torcida adversária vai até a estação Dom Bosco

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

19 Setembro 2014 | 12h05

O esquema de segurança para o clássico de domingo entre Corinthians e São Paulo, no Itaquerão, será o mesmo do clássico anterior, contra o Palmeiras, no primeiro turno do Campeonato Brasileiro.

Significa que os torcedores são-paulinos vão embarcar na Estação da Luz, fazer o trajeto em um trem exclusivo, chegar de trem ao estádio por volta das 13 horas, desembarcar na Estação Dom Bosco da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e completar o trajeto até o estádio a pé, escoltados pela polícia. Os corintianos também vão sair da Estação da Luz, duas horas depois, e desembarcar nas Estações Artur Alvim ou Corinthians-Itaquera.

O plano foi divulgado na manhã desta sexta-feira em um encontro realizado na sede do 2º Batalhão de Choque da Polícia Militar, do qual participaram representantes das duas torcidas, além de integrantes da Federação Paulista de Futebol, Metrô, Polícia Civil e Guarda Civil Metropolitana. 

O capitão Alexandre Vilariço explica que o esquema foi mantido, pois não foram verificadas ocorrências graves no jogo contra o Palmeiras. "O esquema deu certo e será mantido. Foi um clássico bem tranquilo e esperamos que a situação se repita no domingo", afirmou o capitão. O fato de as duas torcidas partirem da mesma estação - a Luz - também não traz preocupações adicionais. "Fizemos isso no jogo passado e não tivemos problemas. Os horários são diferentes e permitem o escoamento com tranquilidade", garante.

Representantes da CPTM - que administra o sistema de trens de São Paulo - que participaram do encontro informaram que o trem que levará os são-paulinos comporta duas mil pessoas, quantidade que corresponde à carga de ingressos da torcida no Itaquerão. "Isso significa que vão todos de uma vez", explicou o oficial da Polícia Militar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.