Três cidades apresentaram seus argumentos para sediar Jogos de 2020

Em Buenos Aires, membros do Comitê Olímpico Internacional escolherão entre Madri, Tóquio e Istambul

Ariel Palacios,

07 de setembro de 2013 | 13h22

BUENOS AIRES - Representantes de Madri, Tóquio e Istambul, junto com autoridades de seus respectivos países, apresentaram hoje (sábado) ao longo do dia seus argumentos para defender a candidatura de suas cidades para ser a sede dos jogos olímpicos de 2020. Os membros do Comitê Olímpico Internacional (COI), elegerão a cidade em uma votação que será realizada no final desta tarde no Hotel Hilton de Buenos Aires, onde transcorre a 125ª. reunião do COI, ouviram as explicações das delegações de cada cidade.

O anúncio oficial sobre a cidade escolhida será realizado em uma sessão do COI entre as 17:00 e as 17:30 horas.

ISTAMBUL

Os representantes turcos afirmam que o país poderá garantir "jogos tecnicamente excelentes" e que a Turquia está em "crescimento econômico". Além disso, citaram como exemplo de preparação o recene sucesso na organização dos Jogos do Mediterrâneo.

O primeiro-ministro Recep Erdogan, que desembarcou em Buenos Aires após uma viagem de 16 horas desde São Petersburgo, onde participou da reunião do G-20, afirmou que a Turquia, se Istambul for escolhida, "será o primeiro país muçulmano da História a ter a sede dos olímpicos". Segundo Erdogan, "Istambul reúne dois continentes". O primeiro-ministro também ressaltou que a eventual eleição de Istambul permitirá que a cidade mostre à região que "as semelhanças" entre os vários povos da área "são mais fortes do que nossas diferenças". Segundo Erdogan, a olimpíada em Istambul "serão os jogos da paz".

Respondendo perguntas dos membros do COI sobre a capacidade de transportes, Erdogan sustentou que as obras do aeroporto de Istambul - e as estradas de acesso - estarão prontas até 2017.

Na coletiva de imprensa realizada na sequência, o vice-primeiro-ministro Ali Babacan afirma que Istambul está preparada para que os jogos sejam um "sucesso". Segundo ele, em Istambul "unem-se dois continentes".

Kadir Topbas, prefeito de Istambul, sustentou que a maior parte da população dessa cidade e da Turquia respaldam a candidatura para os jogos de 2020.

TÓQUIO

Os representantes japoneses destacaram a "paixão" dos habitantes da cidade pelo esporte, além de ressaltar que a tecnologia de ponta nipônica poderá desenvolver a conexão dos jovens com os jogos.

O primeiro-ministro Shinzo Abe, em um breve discurso, sustentou que "Tóquio é uma das cidades mais seguras do mundo". Segundo ele, o acidente de vazamento de radioatividade da central nuclear de Fukushima (a 240 quilômetros ao norte da cidade) "não teve nem terá impacto sobre Tóquio". Abe também fez uma confidência pessoal, afirmando que os jogos olímpicos de 1972 em Munique o levaram a dedicar-se ao arco e flecha quando entrou na faculdade em 1973.

Os japoneses sustentaram que "Tóquio é o sócio adequado no momento certo".

Na sequência da apresentação, os representantes japoneses passaram por uma sabatina dos membros do COI. Nessa etapa, o primeiro-ministro Abe voltou a insistir que não existem riscos gerados por Fukushima, já que, segundo ele, a água contaminada pelo vazamento dessa central está "bloqueada".

MADRI 

Os espanhóis argumentaram que Madri é a cidade ideal para os jogos de 2020 porque é "hospitaleira". O primeiro-ministro Mariano Rajoy argumentou que a economia espanhola "está se recuperando" e que o COI "pode ter a certeza de que a Espanha é um aliado estável" para a sede dos jogos. A prefeita de Madri, Ana Botella, destacou que sua cidade é ideal para "um jantar romântico na Plaza Mayor".

"Ninguém pode igualar Madri 2020", afirmaram sem modéstia os representantes da delegação madrilenha.

Na sequência o príncipe herdeiro da Espanha, Felipe de Borbón, afirmou que este é um "bom momento" para fazer "Madri 2020", "apesar da manifestações em alguns lugares do mundo contra os custos dos jogos". Segundo ele, Madri cumpriu com 80% das obras requeridas. "Madri é confiável e temos experiência", disse o herdeiro da coroa. Depois, pronunciou uma frase em tom de apelo: "acreditem em nossa candidatura".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.