Divulgação/Racing
Divulgação/Racing

Três dias após eliminação na Libertadores, Beccacece deixa o comando do Racing

Treinador afirmou que gostaria de permanecer, mas decidiu não continuar após a saída do diretor Diego Milito, responsável por sua contratação há um ano

Redação, Estadao Conteudo

26 de dezembro de 2020 | 14h10

Três dias depois de o Racing ser eliminado pelo Boca Juniors nas quartas de final da Copa Libertadores, o técnico Sebastián Beccacece deixou, neste sábado, o comando do time de Avellaneda. Em entrevista coletiva, o treinador afirmou que gostaria de permanecer, mas vai sair do clube argentino junto com Diego Milito, diretor de futebol, responsável por sua contratação, e que deixou o cargo por divergências com o presidente Victor Blanco há alguns dias.

"Gostaria de seguir neste caminho. Este grupo nos deu o melhor, mediços forças com Flamengo, com River. Houve uma entrega absoluta. O caminho se tornou adverso, normal em um ano político. Quiseram inventar um monte de coisas, mas nunca puderam com este grupo. Decidimos com a comissão técnica que vamos encerrar minha trajetória", afirmou o técnico argentino em entrevista coletiva neste sábado.

"Com toda a dor, porque tínhamos um projeto muito lindo. Amaria seguir. Às vezes, se deve guiar mais pelo desejo que pela razão, mas não é o meu caso", disse Beccacece, que gostaria de permanecer pelo menos até o meio do ano e até renovar o contrato por mais três temporadas. "É importante que o torcedor conheça nossa verdade. Falo com o coração. Tenho una emoção muito grande de ter passado por aqui e pode desfrutar", completou.

Cogitado para dirigir Palmeiras, Santos e Athletico-PR neste ano, o treinador, de 40 anos, ficou apenas uma temporada no Racing e teve como melhor resultado, após 26 jogos no comando da equipe, ter eliminado o Flamengo nas oitavas de final desta edição da Libertadores.

Antes de comandar o Racing, Beccacece estava no Independiente. Ele ganhou notoriedade ao fazer um bom trabalho no modesto Defensa y Justicia, após ser auxiliar de Jorge Sampaoli. O técnico não indicou qual será seu destino a partir de janeiro de 2021.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.