Leo Correa/AP
Leo Correa/AP

Três famílias de vítimas do incêndio do Ninho do Urubu rebatem Flamengo

Famílias de Christian Esmério, Jorge Eduardo e Pablo Henrique divergem de nota do clube carioca

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de fevereiro de 2020 | 15h39

As famílias de três dos dez mortos do incêndio no CT Ninho do Urubu, tragédia que completou um ano no dia 8 de fevereiro, divulgaram uma nota nesta terça-feira rebatendo versão pelo Flamengo. As famílias de Christian Esmério, Jorge Eduardo e Pablo Henrique se pronunciaram por meio de seus respectivos advogados.

O documento confronta posição do clube e que foi divulgada na noite de segunda-feira para rebater as declarações do apresentador Fausto Silva. Em seu programa dominical na Rede Globo, Faustão fez críticas ao modo como a cúpula rubro-negra vem tratando o caso. A maior tragédia da história do Flamengo completou um ano no último sábado, com poucos acordos selados entre as famílias das vítimas e várias reclamações em relação ao Flamengo por falta de diálogo. O incêndio foi provocado por um curto-circuito em um aparelho de ar-condicionado. O fogo consumiu o contêiner onde dormiam os dez garotos da base.

De acordo com o documento dos familiares, a “diretoria não esclarece que o valor mensal de R$ 10.000,00 não está sendo pago voluntariamente pelo clube, mas sim em decorrência de ordem judicial”. Em outro ponto, a nota diz que diretoria do Flamengo “não disponibiliza qualquer tipo de assistência médica, psicológica ou social, sendo certo que os valores que os familiares vêm recebendo mensalmente são quase em sua totalidade usados para o pagamento destes custos”.

Além disso, os familiares argumentam que "não é verdadeira a afirmação de que a diretoria teria oferecido às nossas famílias um valor superior ao que a Justiça Brasileira costuma determinar em casos como este, pelo simples fato de que, conforme já amplamente noticiado, não há na história qualquer caso que guarde semelhanças fáticas com a tragédia no Ninho do Urubu".

O documento repudia a atitude da diretoria do Flamengo e cita “informações mentirosas veiculadas pela atual gestão”. “Frente a todas as informações mentirosas veiculadas e propagadas pela atual gestão do Flamengo, repudiamos sua atitude e temos a certeza de que elas não representam a grandeza desta Instituição e de milhões de torcedores que tem nos dado imenso apoio - e pelo qual seremos eternamente gratos”, diz a nota.

Outro lado

O Flamengo emitiu uma nota oficial na segunda-feira para rebater o apresentador Fausto Silva, que criticou a diretoria no último programa "Domingão do Faustão". Segundo o clube, o apresentador agiu de forma "leviana e inconsequente" ao classificar como "indecente" e "inadmissível" o comportamento dos dirigentes do Flamengo nas negociações das famílias das dez vítimas do incêndio.

"Mostrando seu total desconhecimento sobre o caso, o apresentador da Rede Globo, sob a desculpa de apoiar uma possível manifestação de torcedores - hoje cancelada - destilou uma série de acusações infundadas que, além de atacar a honra dos dirigentes, acabaram também por atingir a imagem da instituição Flamengo", diz trecho da nota. 

O documento cita ainda que "tamanha agressividade tem como pano de fundo interesses comerciais não atendidos", em referência à falta de acordo entre Flamengo e Globo nas negociações pelos direitos de transmissão do Campeonato Carioca. O clube acionou a Justiça por divergências no contrato do Campeonato Brasileiro.

POSIÇÃO DA TV GLOBO

O departamento de comunicação da Rede Globo enviou nota para o Estado rebatendo as críticas do Flamengo. Confira a íntegra:

A ilação sugerida pelo Flamengo não tem cabimento. Chega a ser ofensiva. O marco de um ano desde o trágico acontecimento mais do que justifica a recente cobertura, que vem sendo feita por todos os veículos de imprensa. Ao longo de todo 2019, a Globo exibiu partidas do Flamengo em todas as competições que o clube disputou, com uma cobertura à altura da excelente campanha esportiva do clube. E nem por isso deixou de registrar cada nova notícia sobre a tragédia do Ninho do Urubu. Sempre com a isenção, a correção e o respeito que um acontecimento tão trágico exige de quem faz bom jornalismo.     

Como aconteceu no caso de tantas outras tragédias e acontecimentos marcantes, o incêndio no Ninho do Urubu recebeu atenção total da equipe da Globo – assim como dos demais veículos. No dia 8 de fevereiro de 2019, a Globo alterou sua programação e não exibiu os programas ‘Mais Você’, ‘Bem Estar’ e ‘Encontro com Fátima Bernardes’. Durante os últimos 12 meses, acompanhou todos os desdobramentos do caso, sempre ouvindo as partes envolvidas. Foram inúmeras entrevistas e dezenas de matérias sobre o assunto ao longo do ano, exibidas nos telejornais e programas da Globo. Todas estão disponíveis no Globoplay. A Globo não mistura jornalismo e negócios. Nosso compromisso é com a divulgação isenta das informações do interesse do público. 


 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.