Guillermo Ossa/AP
Guillermo Ossa/AP

Três jogadores e jornalista internados ainda estão em estado crítico

Quadro do zagueiro Neto é o que mais preocupa os médicos da Chapecoense

Ciro Campos, enviado especial a Medellín, O Estado de S.Paulo

30 Novembro 2016 | 21h30

Os três jogadores sobreviventes da Chapecoense e o jornalista Rafael Henzel continuam internados em hospitais na região de Medellín em estado crítico. Em nota oficial, o clube explicou que não há previsão de alta, mas em alguns desses casos, as perspectivas de melhora existem. O acompanhamento dos feridos é feito pelo chefe do departamento médico da Chapecoense, Carlos Henrique Mendonça, que representa o clube na operação na Colômbia.

Um dos quadros mais preocupantes é o do zagueiro Neto. O jogador foi o último a ser resgatado, cerca de duas horas depois de todos os demais, cerca de dez horas depois da queda do avião. Pelo quadro de emergência, o defensor está em um hospital de La Ceja, cidade mais próxima ao ponto do acidente, onde já passou por cirurgias.

No mesmo centro médico está o jornalista Rafael Henzel, que cobre o cotidiano do clube pela rádio Oeste Capital, de Chapecó. Segundo o clube, ele teve um trauma torácico e uma fratura de perna, também apresenta estado crítico, porém com perspectivas de melhora.

Em uma clínica na cidade de Rionegro está internado o lateral-esquerdo Alan Ruschel, que corre o risco de ficar paraplégico. O jogador passou por cirurgia na coluna vertebral, mas está com movimentos normais em membros superiores e inferiores, segundo informativo do clube. O estado é crítico, porém estabilizado e com perspectivas de melhora, apesar de apresentar escoriações.

O único sobrevivente internado em Medellín é o goleiro reserva Follmann. Segundo a Chapecoense, é ele quem apresenta o quadro mais grave. Boletim médico do hospital San Vicente, assinado pelo diretor Ferney Tobón, contou que ele teve a perna direita amputada.

Segundo o comunicado do clube, existe o risco do pé esquerdo do goleiro ter de ser cortado caso o quadro delicado não apresente evolução nos próximos dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.