Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Três meses após cirurgia, Willian faz trabalhos na esteira no Palmeiras

Atacante já realiza corridas em esteiras na Academia de Futebol e deve voltar em junho

Redação, Estadão Conteúdo

26 de março de 2019 | 10h26

Pouco mais de três meses após passar por uma cirurgia no joelho direito, Willian deu um passo importante no seu processo de recuperação para retornar aos gramados pelo Palmeiras. O atacante já realiza corridas em esteiras na Academia de Futebol, em demonstração de que tem evoluído no seu tratamento.

"Não tenho palavras para descrever o quanto estou feliz e motivado. Claro que essa situação não é boa para ninguém, mas já foram três meses de muito trabalho e dedicação, tanto minha como do departamento médico do Palmeiras. No final de semana, pude voltar a correr e a sensação foi a melhor possível. Cada dia que passa, me sinto mais forte e preparado", afirmou o atacante, via assessoria de imprensa.

O próprio Willian relatou o início dos trabalhos físicos ao divulgar um vídeo trabalhando na esteira do CT palmeirense. "Pensa num cara feliz. Depois de três meses de cirurgia, hoje tive o prazer de realizar a minha primeira corrida. Gratidão por tudo. E o melhor está por vir", escreveu o atacante em seu perfil no Instagram.

Apesar do passo dado na recuperação, Willian ainda deve demorar para ficar à disposição do técnico Luiz Felipe Scolari, tanto que a previsão é de que não volte a atuar pelo Palmeiras antes de junho.

A lesão de Willian ocorreu em um dos lances mais marcantes do Palmeiras na temporada passada, ao dar o passe para o gol de Deyverson na vitória por 1 a 0 sobre o Vasco, em 25 de novembro, em São Januário, resultado que garantiu ao time a conquista do título do Campeonato Brasileiro.

Willian aliás, foi um dos destaques da equipe no torneio, sendo o artilheiro palmeirense na competição, com dez gols marcados. No clube desde janeiro de 2017, ele soma 34 gols em 121 partidas disputadas. E o seu contrato é válido até o fim de 2021.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.