Divulgação
Divulgação

Diretor de futebol deixa o São Paulo após três meses no cargo

Em março, Luiz Cunha substituiu Rubens Moreno na posição. Presidente Leco o vê como fundamental na reação do elenco

Estadão Conteúdo

07 de junho de 2016 | 11h46

O São Paulo anunciou nesta terça-feira a saída do diretor de futebol, Luiz Antônio Cunha. O dirigente chegou ao cargo em março, durante reforma no departamento de futebol comandada pela presidência e respaldado pelo trabalho nas categorias de base do clube. De acordo com o comunicado do São Paulo, a saída dele se deveu a motivos pessoais. O nome do substituto ainda não foi confirmado.

"Tive uma conversa franca com o presidente (Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco), expliquei que meu desligamento se dá por razões particulares, e que optava por sair agora porque assim o São Paulo poderá se preparar com tranquilidade para a reta final da Copa Libertadores", disse Cunha ao site oficial do clube.

Cunha chegou ao futebol profissional após Leco mexer em três cargos no departamento. O vice-presidente de futebol, Ataíde Gil Guerreiro, o então diretor de futebol, Rubens Moreno, e o coordenador técnico Milton Cruz foram desligados das funções no fim de março. Além de Cunha, o clube contratou para compor a equipe de trabalho o ex-volante Pintado, que treinava o Guarani.

Segundo Leco, a participação de Cunha foi fundamental para fazer o clube reagir e chegar à semifinal da Copa Libertadores. "O Luiz foi de enorme valia nessa reconstrução que estamos realizando desde que assumimos a presidência, e somos todos muito gratos a ele por isso. Desejo que ele siga tendo muito sucesso em seus desafios, porque sucesso é uma palavra que já está incorporada à sua biografia", disse o presidente do clube paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.