Três times despontam como favoritos ao título do Campeonato Inglês

Manchester United, City e Chelsea devem disputar o torneio nacional

GUILHERME DORINI, O Estado de S. Paulo

17 de agosto de 2013 | 08h30

SÃO PAULO - Troca de técnicos, bons elencos mantidos e a  movimentação dos clubes na janela de transferência  indicam que o Campeonato Inglês, que começa neste sábado, terá uma das edições mais disputadas dos  últimos anos. Além dos favoritos Manchester United, Chelsea e Manchester City, o Tottenham investiu pesado nas contratações e deve dar trabalho aos grandes, assim como Arsenal e Liverpool que, mesmo sem muito gastar muito, podem surpreender.

Antes mesmo de começar a competição, uma coisa já é certa: esta edição do Campeonato Inglês será histórica. Pela primeira vez após 27 anos, o Manchester United jogará sem o comando do técnico Sir Alex Ferguson. Sob nova direção, com David Moyes no banco, a grande dúvida é saber como os atuais campeões se comportarão sem o lendário treinador. A equipe não fez, até agora, nenhuma  contratação badalada e aposta na base deixada por Ferguson. Enquanto não resolvem a situação de Rooney, que força a saída do clube, Van Persie, Kagawa e Vidic serão os responsáveis por liderar o time em busca do 21.º título inglês.

Após ter ficado longe da disputa do título na edição passada, o Chelsea aposta no retorno de José Mourinho para voltar a brilhar. O português, bicampeão inglês pelo clube londrino, terá nas mãos a base mantida por Rafa Benítez e jovens promissores que pretendem ser cada vez mais protagonistas no time. Oscar, Hazard e Mata ganham a companhia de Lukaku, Schürrle e De Bruyne, o que deve fazer o Chelsea brigar por todos os títulos que disputará. Em entrevista ao Estado, Oscar afirma que os novos reforços não ameaçam sua titularidade. "Acho que não ameaçam (a titularidade). Já existiam vários jogadores bons na minha posição, é uma  briga sadia e quem estiver melhor tem que jogar. Quero trabalhar bastante para segurar minha vaga na equipe", disse. Sobre o papel que o Chelsea deve desempenhar na temporada, o brasileiro mostra otimismo. "A expectativa é fazer uma temporada de títulos, inclusive do Campeonato Inglês. Estamos entre os candidatos que vão brigar até o final para ser campeão".

Com uma proposta de um novo estilo de jogo, o Manchester City aposta em reforços caros e em um novo  treinador para superar os rivais. Agora comandado pelo espanhol Manuel Pellegrini, os atuais vice-campeões abriram os cofres para trazer Fernandinho, Jesus Navas, Negredo e Jovetic, que se juntam a David Silva e Agüero, para fazer do City um dos elencos dos mais fortes do Campeonato Inglês.

CORREM POR FORA

Há oito anos sem um troféu, o Arsenal virou coadjuvante  na Inglaterra. Arsène Wenger, técnico francês há 17  anos na equipe, mantém a mesma mentalidade de quando chegou ao time: contratar apenas jovens jogadores. Com  isso, a esperança continua nos gols Giroud e Podolski. A equipe deve brigar por uma vaga na Copa dos Campeões.

Já o Liverpool, um gigante adormecido nos últimos anos, demonstrou sinais de reação ao final do campeonato passado. Apesar de jogarem apenas 17 jogos juntos,  Philippe Coutinho e Sturridge mostraram ótimo  entrosamento e deram outra cara para a equipe. Com  eles, Gerrard e Suárez se tornaram mais decisivos e o time evoluiu. Na melhor fase de sua carreira, o brasileiro crê em uma competição acirrada e coloca a equipe na disputa. "O Campeonato Inglês é uma competição muito difícil. São muitos times bons, mas o Liverpool está nesse bolo e nosso pensamento é sempre de buscar o título", disse ao Estado. Considerado um dos principais jogadores da equipe, o brasileiro contou quais foram os fatores fundamentais para ter alcançado este sucesso. "O estilo de jogo me ajuda muito. Jogamos com toque de bola rápido e muita velocidade do meio para frente. O que o torcedor gosta é de ver o time jogando bem e os jogadores lutando o tempo inteiro dentro de campo. A adaptação foi muito mais tranquila do que eu imaginava".

Outra equipe que corre por fora é o Tottenham. O time londrino investiu pesado na contratação de novos  jogadores e promete dar trabalho aos grandes da Inglaterra. As maiores expectativas ficam para a  estreia oficial de Paulinho e o fim da novela envolvendo Gareth Bale, assediado pelo Real Madrid, e que não sabe se fica ou deixa o Tottenham.

GASTANÇA

Normalmente responsável por gastos estratosféricos no Campeonato Inglês, Abramovich, dono do Chelsea, desta vez não abusou de sua fortuna. A grande surpresa desta janela de transferências foi o Tottenham. Acostumado a fazer contratações pontuais, o clube londrino não poupou esforços para reforçar seu elenco. Paulinho, Chadli, Soldado e Capoue custaram juntos 59 milhões de libras, cerca de R$ 216 milhões, aos cofres da equipe. Porém, ainda não foi suficiente para vencer o Manchester City que, mais uma vez, abriu o bolso para continuar como um dos grandes favoritos ao título. Para trazer Fernandinho, Jesus Navas, Negredo e Jovetic, a equipe gastou 87 milhões de libras, o equivalente a R$ 318 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.