Diarlei Rodríguez/AP
Diarlei Rodríguez/AP

Três torcedores do Peñarol são presos por causa de tumultos no Rio de Janeiro

Ao todo 14 uruguaios foram detidos após briga com flamenguistas antes de jogo da Libertadores

Marcio Dolzan, Estadão Conteúdo

04 de abril de 2019 | 13h30

Três torcedores do Peñarol estão presos preventivamente devido aos tumultos registrados no Rio de Janeiro entre a tarde de quarta-feira e a madrugada desta quinta. Eles vieram do Uruguai para acompanhar a partida contra o Flamengo no estádio do Maracanã, pela Copa Libertadores. Outros 11 simpatizantes que haviam sido detidos foram liberados, mas impedidos de assistir à partida.

Gianfranco Steffano, Dennis Oscar Viega Gonzalez e Fernando Segundo Carreño Tucce vão responder por lesão corporal "que resulta em perigo de vida". Uma briga generalizada ocorrida durante a tarde no bairro do Leme, na zona sul do Rio de Janeiro, deixou ferido o flamenguista Roberto Almeida, de 60 anos. Atingido na cabeça, ele está internado no Hospital Municipal Miguel Couto em estado considerado grave.

Também detidos, outros 11 uruguaios tiveram a prisão em flagrante convertida para uma transação penal a pedido do Ministério Público. Acusados de promover tumulto, eles foram impedidos de assistir à partida em que o Peñarol venceu o Flamengo por 1 a 0.

As audiências tiveram a presença do cônsul do Uruguai no Rio de Janeiro, Jorge Luis Pouy. Os julgamentos ocorrem no posto do Juizado do Torcedor e dos Grandes Eventos instalado no estádio do Maracanã. Iniciado às 19 horas de quarta-feira, o plantão no juizado encerrou apenas às 6h20 da manhã desta quinta devido ao grande número de ocorrências.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.