Tribunal recusa processo de difamação de Beckham contra revista

Um juiz norte-americano recusou um processo aberto pelo jogador David Beckham contra uma revista, no qual solicitava o pagamento de 25 milhões de dólares em indenização por difamação, após uma reportagem afirmando que ele, que é casado, havia dormido com uma garota de programa.

REUTERS

15 de fevereiro de 2011 | 10h39

O juiz Manuel Real disse que Beckham, cuja mulher, Victoria, fez parte da banda Spice Girls, é uma figura pública e que alegações de traição contra ele são de interesse público.

O magistrado também afirmou que não há evidências de que a revista In Touch Weekly agiu com malícia quando publicou a reportagem sobre o jogador, do L.A. Galaxy. Esse foi um aspecto importante na decisão porque, segundo a lei dos Estados Unidos, a identificação de má intenção é fundamental nos processos de calúnia e difamação.

Beckham declarou nos documentos judiciais que jamais se encontrou com Irma Nici, prostituta de Nova York que cobraria 10 mil dólares por noite, que foi citada na reportagem dizendo que dormiu com Beckham em Nova York e Londres.

Advogados de Beckham informaram que o jogador vai recorrer e continuar com a disputa contra a publicação.

Um editor da revista alegou no processo que Nici declarou durante uma entrevista que Beckham estava abatido quando eles se conheceram em Londres porque o pai do jogador estava doente. A In Touch alegou ter confirmado com outras pessoas a história contada por Nici.

(Por Alex Dobuzinskis)

Tudo o que sabemos sobre:
FUTGENTEBECKHAM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.