Tribunal tira o São Paulo do sério

O São Paulo promete lutar nesta sexta-feira contra a decisão de Luiz Zveiter, presidente do STJD, que afirmou, através da assessoria de imprensa da entidade, que Lugano, Josué e Cicinho estão fora do jogo contra o Corinthians, segunda-feira, a partir das 20h30, no Morumbi. Juvenal Juvêncio, diretor de futebol, diz que ?espero que o Zveiter reveja essa posição e mantenha o que falou às televisões. Temos fitas gravadas em que ele garante que os jogadores poderiam cumprir a punição contra a Ponte Preta?. Caso não consiga mudar o posicionamento de Zveiter, o São Paulo decidirá se manda os três jogadores a campo, mesmo correndo o risco de perder seis pontos. ?Só depois vamos considerar isso. Antes, vamos lutar para que a nossa convicção prevaleça?, diz Juvêncio.Cicinho, Josué e Lugano estavam suspensos no jogo contra o Corinthians, realizado no dia 7 de setembro, e que foi anulado por haver sido apitado por Edilson Pereira de Carvalho. Não poderiam jogar na partida remarcada, mas aí é que começa a confusão. O São Paulo distribuiu nesta quinta um comunicado do STJD em que está escrito o seguinte: ?...ficando esclarecido que os clubes que tiverem mais de uma partida a disputar, o atleta que cumprir a automática na primeira partida passará a ter condição de jogo para a próxima partida.?Baseado nisso, o São Paulo não escalou os jogadores contra a Ponte, depois de insistentes consultas não respondidas por Zveiter. Ontem, a assessoria de imprensa diz que o que vale é uma circular emitida depois do comunicado.Na circular está escrito que?. ..considerando as diversas consultas ....para as partidas anuladas e que serão realizadas novamente nos dias 12 e 13 de outubro...fica esclarecido que: a) O atleta que estava suspenso ou impedido de atuar na partida anulada por força de qualquer medida punitiva disciplinar não poderá atuar na partida mencionada (12 ou 13/10 - partida remarcada). Claro? Sim, a não ser por um ?pequeno? detalhe, segundo o entendimento de Juvenal Juvêncio. ?Essa circular fala em partidas dos dias 12 e 13 de outubro, e nós não jogamos nesses dias. O jogo contra a Ponte foi dia 19 e a do Corinthians será dia 24. Por isso, prefiro continuar acreditando no que o Zveiter falou alto e bom som em fitas gravadas que temos conosco?Juvenal acredita que a repercussão do caso na imprensa possa fazer com que Zveiter se sinta obrigado a mudar de opinião. Por isso, distribuiu o comunicado e a circular aos jornalistas, com as contradições de Zveiter. ?Esse é um momento muito triste do futebol brasileiro e precisamos ter calma?, diz Juvenal, em um posicionamento mais brando que o do presidente Marcelo Portugal Gouvêa, que, pela manhã, antes do comunicado da assessoria de imprensa do STJD, garantia que o São Paulo escalaria seus jogadores para a partida.Os jogadores do clube não se posicionaram. Mandaram avisar que, por ser um assunto complicado, não dariam entrevistas. Nem sabiam o que seria perguntado.Rogério Ceni, capitão do time; Lugano, que sonha em ser capitão da Seleção Uruguaia; Fabão, que sonha com a Seleção Brasileira; Júnior e Amoroso, com passagens pelo futebol europeu; Josué, Mineiro, Danilo, Christian e todos os reservas, ninguém quis dar uma opinião. Nem Cicinho, Amoroso e Souza, que criticaram ?privilégios? ao Corinthians aceitaram falar. Talvez reclamem depois.

Agencia Estado,

20 de outubro de 2005 | 20h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.