Guenter Schiffmann/AFP
Guenter Schiffmann/AFP

Tricampeão, Bayern consolida hegemonia no futebol alemão

Equipe conquistou 25º título com 4 rodadas de antecedência

O Estado de S. Paulo

26 de abril de 2015 | 15h19

Neste domingo, o Bayern de Munique levanta seu 25º título do Campeonato Alemão, o terceiro em sequência e o segundo sob o comando de Pep Guardiola. Contratado no começo da última temporada, o técnico catalão se consolida de vez na Alemanha.

O título chegou após a vitória por 1 a 0 sobre o Hertha, neste sábado, mas foi confirmado após a derrota do Wolfsburg, vice-líder, para o Mönchengladbach neste domingo. Apesar da conquista vir com quatro rodadas de antecedência, este ano foi mais difícil para o time de Munique, já que na temporada passada o caneco foi festejado a sete jogos do fim.

A temporada começou com o desafio de renovar parte do elenco bicampeão. Mario Mandzukic, homem de referência no ataque, foi para o Atlético de Madrid. O motor da equipe, Tony Kroos, também se mudou para Madri, mas hoje atua pelo lado branco da capital espanhola. Titular na zaga em algumas oportunidades, o belga Van Buyten se aposentou e Xerdan Shaqiri, outro coadjuvante importante, foi adicionado à Inter de Milão após a Copa do Mundo.

O departamento de futebol reforçou o plantel com o atacante Robert Lewandowski, do Borussia Dortmund, e Xabi Alonso, do Real Madrid. Outras apostas foram feitas em nomes menos conhecidos, como Sebastian Rode, do Eintracht Frankfurt, e Juan Bernat, ex-Valencia. 

Mesmo com um time milionário e recheado de craques, Guardiola não pôde contar com força máxima por toda a temporada. Ribéry, Robben, Schweinsteiger, Alaba e Javi Martinez sofreram com lesões, principalmente nas retas finais da Liga dos Campeões e Campeonato Alemão. 

A baixa dos maiores nomes do Bayern em momento tão crítico da temporada desencadeou uma crise interna. Hans-Wilhelm Müller-Wohlfahrt, médico do clube há quase 40 anos, se demitiu após a derrota por 3 a 1 para o Porto, válida pela ida das quartas de final do torneio continental. 

À frente de mais esse desafio, Pep mostrou sua capacidade de fortalecer o futebol coletivo. No jogo de volta contra o Porto, em Munique, Thiago Alcântara dominou o meio campo, Philip Lahm atuou como ponta direita e o Bayern garantiu a quarta semifinal seguida de Liga dos Campeões com uma sonora goleada por 6 a 1 , sendo 5 a 0 nos primeiros 30 minutos de jogo.

Outro objetivo que o treinador pode mirar é repetir o feito realizado no Barcelona entre 2008 e 2009, quando levantou todos os títulos possíveis na temporada: Campeonato Nacional, Copa e Supercopa Espanholas, Liga dos Campeões, Supercopa da Uefa e Mundial de Clubes da Fifa. 

Com o Bayern, Pep está nas semifinais das copas europeia e nacional. Com a conquista do Campeonato Alemão, se garantiu na disputa da Supercopa da Alemanha. Os outros dois títulos, Mundial e Supercopa da Uefa, dependem de sua chega à Berlim, em 6 de junho. É inegável que o time alemão é o bicho-papão da Europa, ao lado do Barcelona. Joga bonito e é uma verdadeira máquina de fazer gols.  

Caso levante essa quantidade de troféus em 2015, Guardiola se tornaria o segundo técnico na história da Alemanha a conseguir a tríplice coroa. O único com tal realização no currículo é Jupp Heynckes, treinador antecessor a Josep na Allianz Arena.

CAMPANHA
30 jogos
24 vitórias
2 derrotas
4 empates
77 gols feitos
13 gols sofridos
76 pontos
Artilheiro: Robben 17 gols

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.