Tricolor se abate e pouco explica

Não restou outra alternativa ao time do São Paulo. Depois de mais uma derrota para o Corinthians em jogos decisivos, a equipe, visivelmente abatida, saiu de campo e entrou para os vestiários sem falar coisa alguma sobre outro 3 a 2 aplicado pelo adversário. Rogério Ceni foi a imagem do desespero são-paulino após a partida. Na jogada do terceiro gol corintiano o goleiro bateu o joelho na trave e saiu de campo aos prantos. No vestiário, o jogador precisou receber cinco pontos logo abaixo do joelho. Ricardinho acredita que dois momentos definiram o jogo. "Quando estava 0 a 0 o São Paulo perdeu duas ou três chances e o Corinthians conseguiu marcar no contra-ataque no primeiro tempo." Depois, segundo o meia, no período inicial, o São Paulo voltou a pressionar e novamente foi surpreendido pelo time corintiano. "Vencer o Corinthians é difícil, mas depois de estar perdendo por 2 a 0 é complicado. Mas o time ainda teve brios para correr atrás do resultado", afirmou Ricardinho. A conclusão final, foi dolorosa: "Não se pode errar contra o Corinthians." O jogador, no entanto, não quis apontar culpados. "Todos erramos." A organização da partida no estádio do Morumbi acompanhou a bagunça do Campeonato Paulista. Segundo alguns funcionários e policiais que trabalhavam no local, todos os acessos internos foram trancados a mando do comandante do policiamento e nenhum funcionário do clube sabia informar qual colega havia ficado com as chaves. A conclusão: para trabalhar, os profissionais da imprensa escrita e rádios tiveram o acesso aos vestiários bloqueados. Para conseguir trabalhar, a única alternativa que restou aos jornalistas foi dar a volta em parte do estádio, no meio da torcida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.