Emmanuel Dunand/AFP
Emmanuel Dunand/AFP

Mundo do futebol homenageia vítimas da Tragédia de Heysel

Em 1985, 39 pessoas foram mortas e centenas ficaram feridas

Estadão Conteúdo

29 de maio de 2015 | 09h53

Sobreviventes, parentes das vítimas e autoridades do futebol prestaram homenagens às 39 pessoas mortas na Tragédia do Estádio de Heysel, que completa 30 anos nesta sexta-feira, durante a decisão da Liga dos Campeões da Europa de 1985 entre Liverpool e Juventus, em Bruxelas, numa confusão que também feriu centenas de torcedores.

Sob o toque de cornetas, flores e coroas foram colocadas em uma placa que lembra a tragédia, nesta sexta-feira, no Estádio Rei Baudouin, que foi reformado e rebatizado após a tragédia, em cerimônia que contou com as presenças dos embaixadores italianos e britânicos na Bélgica.

Em Zurique, onde participa do Congresso da Fifa, o presidente da Uefa, Michel Platini, disse que ainda carrega as memórias daquela noite, quando ele marcou de pênalti o gol da vitória da Juventus por 1 a 0 sobre o Liverpool.

"Isso não sai de mim. Assim como isso não deixou qualquer outra pessoa que estava lá naquela noite", disse Platini. "Eu só posso expressar a minha mais profunda solidariedade".

Antes do início da final, em um setor do estádio em que torcedores dos dois times estavam separados apenas por policiais e uma pequena barreira, hooligans do Liverpool tentaram avançar contra fãs da Juventus. O que se viu então foi o caos, com as vítimas sendo pisoteadas ou sufocadas até a morte enquanto tentavam fugir do conflito violento. Outros morreram quando um muro de contenção desabou.

A partida, porém, acabou sendo realizada depois da confusão, com a vitória da Juventus. Mas mais do que a conquista do clube italiano, o que ficou na memória foi a tragédia que provocou a morte de 39 pessoas, tanto que o time de Turim também realiza uma homenagem às vítimas nesta sexta.

Além de Platini, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, também lembrou a tragédia durante o congresso da entidade, realizando um minuto de silêncio. "Graças a realização do jogo, vidas foram salvas", declarou o dirigente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.