Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Trio de defesa do Palmeiras acumula mais de 13 horas sem levar gol

Luan, Gómez e Felipe Melo formam parceria eficiente no setor de marcação do time nos últimos jogos

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

14 de maio de 2019 | 04h30

O líder do Campeonato Brasileiro e dono da melhor campanha da fase de grupos da Copa Libertadores não tem como segredos um ataque arrasador, um artilheiro em grande fase ou uma jogada específica. O grande pilar para o bom momento do Palmeiras nas últimas semanas é o trio de marcação. Quando Gustavo Gómez, Luan e Felipe Melo jogam juntos, dificilmente a equipe sofre gols.

A dupla de zagueiros e mais o volante têm sido regulares a ponto de fazerem o time ficar sem tomar gols nos último oito jogos em que eles atuaram. A última vez em que o Palmeiras foi vazado e os três estavam em campo foi 2 de fevereiro, na derrota por 1 a 0 para o Corinthians, pela primeira fase do Campeonato Paulista.

Desde o gol marcado por Danilo Avelar, aos oito minutos de jogo daquele clássico, são mais de 13 horas sem o Palmeiras ser vazado pelos adversários quando o trio está escalado. O clube reconhece o grande momento dos jogadores e, inclusive, tem tomado atitudes para valorizar os defensores.

O Palmeiras prolongou na última semana o contrato de Luan de março de 2022 por mais um ano e lhe ofereceu aumento salarial. A diretoria também negocia com o Milan a compra do paraguaio Gómez até o meio do ano e quer renovar o vínculo do volante Felipe Melo, que termina em dezembro.

No domingo, o técnico Luiz Felipe Scolari elogiou bastante Felipe Melo após a vitória por 2 a 0 sobre o Atlético-MG. "Foi a melhor partida que eu vi o Felipe Melo fazer desde que estou aqui. Com calma, tranquilidade, se impondo, sabendo trabalhar a bola e fazendo com que os outros jogadores participassem", comentou.

A dupla de zaga Luan e Gómez se fortaleceu durante o Brasileiro do ano passado. Os dois inicialmente participavam da formação alternativa da equipe, mas depois garantiram espaço no time titular inclusive para partidas da Copa Libertadores, quando passaram a jogar ao lado de Felipe Melo. 

O volante superou problemas disciplinares vividos no clube nas temporadas anteriores e não foi mais expulso do time desde agosto do ano passado, quando levou um vermelho após três minutos em campo contra o Cerro Porteño, pela Libertadores.

"Temos tido um trabalho tático com todos muito bem organizado. Nós posicionamos nosso time sempre da forma que acreditamos ser a correta, seja com quem estiver na equipe", explicou Felipão. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.